Reunião Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis e Comissão de Diálogo do Comando de Greve

Universidade Federal de São Paulo
Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Guarulhos, 03 de maio de 2012

Reunião Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis e Comissão de Diálogo do Comando de Greve

Estão presentes: Luiz Leduíno (Pró-reitor de Assuntos Estudantis), Carlos Cazuza (Assessor de Gabinete da Reitoria), Prof. Fernando Cruz (Coordenadora de Políticas e Ações Afirmativa da PRAE), Prof. Cleber (Coordenador do NAE), estudantes (História, Sociais, Filosofia, História da Arte, Letras).

Apresentação e adendos:
Foi reconhecido que além dos problemas infraestruturais, vivemos atualmente uma crise política-institucional.
Foi colocado por um estudante a posição de alguns docentes do campus que se colocam abertos ao diálogo, mas no entanto tem agido de forma impositiva, como o exemplo dos professores de Letras que apresentaram um calendário de reposição antes do término da greve.
Também foi colocado pelos estudantes a questão da criminalização do Movimento Estudantil através de ações frequentes que impedem a nossa mobilização e/ou intimidam o movimento. (fechamento dos espaços do campus antes do horário, tropa de choque, etc).
Discussão da Pauta:
Eixo 1: Infraestrutura
Item 1: Prédio Novo

1) – Viabilidade da Comissão Paritária com membros da PRAE: o Movimento Estudantil pede a institucionalidade da Comissão. Para isso: necessidade de Portaria onde seria explicitado a interferência que essa comissão terá e a questão seria avaliada. A Comissão pode ter funções ampliadas, como por ex. acompanhar o aluguel do prédio no entorno. A Comissão teria caráter para além do campus.
– Conclusão do processo licitatório em setembro (se tudo correr tranquilamente). Depois de 30 dias, início da obra. Conclusão entre 18 meses a 24 meses. Prédio pronto e utilizável: 1º semestre de 2015.
– Medida emergencial: levantamento de prédios no entorno feito pelo corpo docente e estudo do levantamento para aluguel. Critérios: proximidade do campus, viabilidade de ocupar atividades administrativas e acadêmicas, salas de informática, biblioteca, etc. Necessidade de um Plano de ocupação: necessidade de um R.U., etc. A proposta é uma saída imediata logo após o aluguel do prédio. Comissão de Espaço Física e Infraestrutura estão pensando como será utilizado o espaço do campus

2) – Lei nº 12.527 de 18 de novembro de 2011 de Acesso à Informação Pública. Ficou comprometido que em uma próxima reunião o projeto poderia ser trazido. A única possibilidade de mudança do projeto são as paredes, que tem flexibilidade.

3) – O prédio está alugado por 50 meses. A Unifesp encaminhará um processo de desapropriação que será efetivado por decreto de utilização pública. A caixa econômica que define o preço da compra.
– A proposta é a compra do terreno e demolição do galpão para inseri-lo em um Projeto de Expansão que não existe.

4)Prédio da Stiffil: avaliado em 180 mil

5) A proposta do REUNI era instalar os novos centros de expansão em municípios que houvesse disponibilidade de estrutura por parte da prefeitura. O aluguel do CEU foi uma medida nesse sentido.

– A proposta do M. E. é que a utilização do CEU tenha um retorno para o bairro, com projetos de extensão, aulas direcionadas para os moradores, etc., e não para aulas de disciplinas da universidade.
– Foi colocado pela Prof. Fernanda a importância da parceria entre o governo federal e as prefeituras onde os campus estão localizados. Os estudantes defendem essa relação, mas com autonomia da universidade.
– Foi colocado também pelos estudantes que a expansão da universidade resolveria o problema do CEU.
– Não há possibilidade de resposta, mas representantes entendem o problema e entrarão em contato com a D. A. para trazer essa informação.

6) – Solicitar representatividade dos estudantes sobre como ocupar o prédio novo, garantindo espaços de convivência e espaços para as entidades estudantis (CA, IES, etc)

– Projeto de Expansão: proposta de utilizar a Comissão Paritária para participação nesse Projeto. Foi afirmado que o campus teria autonomia em relação ao Consu sobre a construção desse projeto.

Item 2: Moradia Estudantil

Comissão de R.U: o terreno acima do terreno do galpão está sendo negociado com o proprietário pela Unifesp. Os três terrenos acima do terreno do galpão pertencem a mesma construtora.

CIRU (Comissão de Implantação Residência Universitária): proposta de fazer da próxima reunião de trabalho da Comissão como pública e aberta para o acompanhamento dos estudantes.

Eixo 3: Repressão

– Legalmente, os processos não podem ser retirados nem pela universidade, nem pelo ministério público, mas atualmente eles estão “praticamente” arquivados, pois está parado.
– O M.E. pede um posicionamento político da universidade sobre esta questão. A PRAE se posiciona favorável a retirada dos processos e se compromete a trazer esse posicionamento da reitoria em uma próxima reunião.
– Foi levantado também pelos estudantes a questão do Código de Conduta Discente que não é aprovado pelo M. E., tendo em vista que ele legitima o controle institucional da mobilização estudantil. [Prof. Leduíno não está de acordo com essa interpretação]

Últimas ações referentes à greve dos estudantes:

– Há uma pressão grande direcionada à PRAE, especialmente institucional, para abrir Comissões de Sindicância no interior da universidade em relação a mobilização dos estudantes. Segundo o pró-reitor, há possibilidade de evitar a formação das Comissões de Sindicância se houver a retirada dos piquetes. O pró-reitor também mostrou o documento de alguns professores que apoiam a greve dos estudantes mas tem feito ponderações em relação a ação dos estudantes.

– Os estudantes solicitaram a abertura do B.O. e os nomes envolvidos. A PRAE se compromete a mostrar esse documento, mas afirma que não há nomes.

– PRAE: A greve é reconhecida como direito pela PRAE e Reitoria. No entanto, os estudantes colocaram que há uma deslegitimidade desse direito na prática, como nas discussões na Congregação, das ações dos professores.

– Foi questionado os gestores da PRAE, enquanto órgão em nome dos estudantes e que atuam de forma progressista no espaço institucional, se eles se retirassem do cargo atual caso algum estudante fosse punido. O pró-reitor disse que se comprometeria caso houvesse uma punição política dos estudantes.

– Tropa de choque no Ato na Reitoria: houve denúncia de que os estudantes iriam ocupar a reitoria.

Eixo 2: Acesso e Permanência
Item 1: Transporte

– Há uma agenda a ser definida com o governo do Estado para negociar medidas em relação ao transporte por meio da EMTU.

*

Tendo em vista a reunião de diálogo entre os estudantes em greve e a Pró-Reitoria de Assuntos Estudantes, os estudantes solicitam uma reunião de negociação com a Reitoria e a presença da PRAE o mais urgente possível, de preferência até terça-feira.

A fala do Pró-Reitor é de que o Reitor se compromete a receber uma Comissão de Negociação dos estudantes apenas após o término da greve, e em São Paulo.

A posição dos estudantes é de que a greve só tem possibilidade de término com uma reunião de negociação com a reitoria. Reafirmamos a proposta de uma reunião entre uma Comissão de Negociação dos estudantes e a Reitoria, com a presença da PRAE, a ser realizada no campus o mais rápido possível.

Proposta da PRAE: indicativo de reunião na próxima terça-feira entre a PRAE os estudantes para terminar a discussão da pauta, mas a PRAE ficou de levar a proposta dos estudantes para a Reitoria.

Obs: A presente ata foi lida e assinada pelo Pró-reitor de Assuntos Estudantins, Luiz Leduíno, no dia 03/05/2012.

Esse post foi publicado em Cartas. Bookmark o link permanente.

4 respostas para Reunião Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis e Comissão de Diálogo do Comando de Greve

  1. Airton disse:

    É Luiz Leduíno, não José Leduíno.

  2. Ômega disse:

    Tenho trinta e poucos anos, estou na minha terceira graduação, as outras duas em universidades particulares. Trabalhei duro para pagá-las, e como! Se estava com fome, depois de uma longa jornada de trabalho, recorria ao lanche mais barato e isso não saia por menos de R$ 6,00, R$ 7,00. Tudo que tínhamos que fazer era pago (xerox, impressão etc), nada era de graça! Nas rodas de amigos, falávamos que o que importava pra nós era professores qualificados, afinal, pagávamos alto por uma educação de qualidade, capaz de nos tornar competitivos no cruel mercado de trabalho. Cheguei então na terceira graduação, universidade pública (estrutura física aquém), ônibus gratuito (ainda que não supra a demanda), comida razoável pra boa (por míseros R$ 2,50), auxílio moradia, auxílio permanência, auxílio transporte, cota para impressão, corpo docente altamente qualificado, etc, etc. Bom, na verdade meu pesadelo começou exatamente aqui, afinal, não posso usufruir de nada disso (não me venham com conversinhas de que tudo que alistei foi conquistado pelas greves anteriores!). Claro, muita coisa precisa melhorar no Campus, porém, existem meios legítimos (esqueci, a greve é um meio legítimo!) para conseguir tais reivindicações, sem que prejudiquemos a nós mesmos. Sei que o tal comando de greve não tá nem ai pra perda ou não do semestre, muito menos para os anos que passarão como discentes, até o dia em que receberão o prêmio almejado pelos ótimos serviços prestados, ou seja, o tão sonhado jubilamento! É triste saber que pessoas do tal comando, têm como sua segunda pele a ideologia política do PCO, sem opinião própria, verdadeiras marionetes. Pois do contrário, a Srta. Natália Pimenta, filha do Sr. Rui Costa Pimenta (PCO), seria a primeira a participar da ocupação da Reitoria da USP, bem como a primeira a receber a tropa de choque na desocupação. Não, ela não estava lá! Claro, estava no conforto do seu lar, enquanto as marionetes, os que não pensam por sí (para minha tristeza a maioria é estudante do curso de filosofia), os sem identidade confrontavam com a PM. Talvez se inicie na UNifesp o que já ocorreu na UNB e UFMG, onde chapas apartidárias venceram as eleições (http://m.estadao.com.br/noticias/vidae,primavera-dos-sem-partido,804192.htm). Claro, nossa esperança está na Assembleia do próximo dia 10/05, com pauta definida (chega de retórica evasiva) e limitação dos que farão uso da palavra, além de horário pra acabar. Creio que 22h00 seja um horário razoável para o término, pois a maioria tem compromissos no dia seguinte, como trabalhar por exemplo. Agora, para aqueles que não têm compromisso com nada, o status quo em que se encontram é o ideal. Porém, meus caros, os dias de vadiagem estão contados! Até a Assembleia.

  3. GREVE UNIFESP 2012

    *Por uma EDUCAÇÃO PÚBLICA GRATUITA, UNIVERSAL, DEMOCRÁTICA E DE QUALIDADE
    *Por uma UNIVERSIDADE sem MUROS
    *Contra: CRIMINALIZAÇÃO de 100 ESTUDANTES
    *Contra: PRECARIZAÇÃO e TRANSFERÊNCIA DO CAMPUS PIMENTAS PARA SÃO PAULO
    *Contra: BUROCRACIA ESCOLÁSTICA ASSISTENCIALISTA

  4. BOLETIM INFORMATIVO INDEPENDENTE

    A vitoriosa GREVE UNIFESP 2012 e, a OCUPAÇÃO DA DIRETORIA ACADÊMICA pelos ESTUDANTES que estão na LINHA DE FRENTE do movimento grevista, cumprindo DETERMINAÇÕES DELIBERADAS NAS ASSEMBLÉIAS GERAIS deverá ser amplamente debatida na próxima ASSEMBLÉIA GERAL do dia 10/05/2012, inclusive informes do MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO.

    Neste sentido, vamos nos ater aos FATOS e os seus DESDOBRAMENTOS, única forma de evitar julgamentos baseados no SENSO COMUM, típico nestes momentos onde ninguém OUVE ninguém e o MOVIMENTO PENDULAR DAS DECISÕES está mais para o EMOCIONAL do que para o RACIONAL.

    CONFRONTO ARMADO PELO DIRETOR ACADÊMICO E PARTE DA CONGREGAÇÃO: PROVOCAÇÃO DO MOVIMENTO ESTUDANTIL!

    Parte dos docentes que compõe a MAIORIA DA CONGREGAÇÃO, principal instancia RESPONSÁVEL pela aprovação das diretrizes da DIRETORIA ACADÊMICA que culminaram na PRECARIZAÇÃO DO CAMPUS PIMENTAS – pelas contradições, sabiam que não tinham REPRESENTATIVIDADE para negociar com o MOVIMENTO ESTUDANTIL.

    HORA DA VERDADE, QUE DIGAM O CONTRÁRIO!

    Portanto, é CONDICIONANTE DESMISTIFICAR mais este ATAQUE DO DIRETOR ACADÊMICO e parte da CONGREGAÇÃO, visando DOBRAR OS ESTUDANTES!

    Primeiro, a LEGÍTIMA OCUPAÇÃO DA DIRETORIA ACADÊMICA, decidida por MAIORIA em PLENÁRIA DO COMANDO DE GREVE está sendo UTILIZADA DE FORMA EVIDENTE como FERRAMENTA PARA DESMOBILIZAR OS ESTUDANTES.

    Segundo, cumpre resgatar a posição que sempre DEFENDEMOS nas ASSEMBLÉIAS que a principal instancias de PODER, emanada dos ESTUDANTES é a ASSEMBLÉIA GERAL e seu órgão executivo o COMANDO DE GREVE!

    O COMANDO DE GREVE é composto por COMISSÕES. Estas COMISSÕES são abertas a QUALQUER ESTUDANTE. Durante um período da GREVE, aprovou-se em PLENÁRIA DO CG a proposta de DELEGADOS e, sabemos, surgiram vários conflitos internos, decorrentes da atuação de alguns destes delegados.

    Diante dos erros desta “instância de delegados”, defendemos em assembléia passada sua EXTINÇÃO, uma vez que no dia a dia demonstrou CLARAMENTE ser uma TERCEIRA INSTÂNCIA DE PODER e que trazia mais problemas do que soluções, dividindo o movimento. A assembléia compreendeu e deliberou contra a existência de DELEGADOS, mantendo apenas as COMISSÕES que compõe o COMANDO DE GREVE.

    O movimento estava cada VEZ MAIS FORTE. Sentindo a derrota bem próxima, a DIRETÔRIA ACADÊMICA e PARTE DA CONGREGAÇÃO, votaram a abertura de SINDICÂNCIA INTERNA e tinham um propósito: ATINGIR OS ESTUDANTES QUE ESTAVAM NA LINHA DE FRENTE DO MOVIMENTO GREVISTA.

    Era fácil deduzir o que poderia ocorrer: a RADICALIZAÇÃO DOS QUE SERIAM ATINGIDOS POR ESTA MEDIDA INSANA E MAQUIAVÉLICA. Desta forma, estavam colocando GASOLINA NA FOGUEIRA, uma vez que o AMBIENTE ESTAVA TENSO, ou seja, PROPENSO a decisões DIVERSAS, inclusive a OCUPAÇÃO DA DIRETORIA.

    Esta atitude IRRESPONSÁVEL será motivo de muita discussão na academia, uma vez que à REVELIA DO PRÓ-REITOR LEDUÍNO, LOGO APÓS e na presença diversos ESTUDANTES DA COMISSÃO DE DIÁLOGO (mais de 30): TER GARANTINDO NÃO PUNIR ESTUDANTES ATIVISTAS DA GREVE UNIFESP PIMENTAS 2012.

    Vejam: estes fatos estavam sendo decididos no mesmo dia, quase no mesmo horário e em SALAS dentro da UNIFESP PIMENTAS!!!

    Qual era o “PULO DO GATO” desta armadilha TRAIÇOEIRA DA DIRETORIA E PARTE DA CONGREGAÇÃO, CONTRA O MOVIMENTO ESTUDANTIL E AINDA O PRÓPRIO REPRESENTANTE DA REITORIA?

    Simples, vamos lá: esta abertura de SINDICÂNCIA com o propósito de utilizar os FACTÓIDES CRIADOS POR ELES MESMOS visava levantar os NOMES E MATRÍCULAS de todos que estavam à FRENTE das COMISSÕES que compõe o COMANDO DE GREVE!

    Sabemos que uma SINDICÂNCIA NÃO TEM O MENOR EFEITO JURÍDICO SOBRE UMA ASSEMBLÉIA, responsável pelos rumos da GREVE, mas é EFICIENTE nas MANOBRAS INTERNAS desta burocracia para atingir PESSOALMENTE os principais ativistas do MOVIMENTO e outros que DESMASCARAM A FARSA UNIFESPIANA (ver artigos no blog da greve).

    OCUPAÇÃO

    Desde 2010 VOTAMOS CONTRA A PROPOSTA DE OCUPAÇÃO, até pela CORRELAÇÃO DE FORÇAS. No entanto, diante dos relatos acima, vem a PERGUNTA: quem delibera esta questão, uma ASSEMBLÉIA DE ESTUDANTES, a PLENÁRIA ABERTA DO COMANDO DE GREVE ou os ESTUDANTES AMEAÇADOS PELA SINDICÂNCIA?

    Uma SINDICÂNCIA NÃO ATINGE A ASSEMBLÉIA (esta instância não tem nem um responsável, seja PESSOA FÍSICA OU JURÍDICA), assim como a PLENÁRIA DO COMANDO DE GREVE. Explicado isto, fica fácil deduzir que somente os PRINCIPAIS ATIVISTAS COM NOME E MATRÍCULA, seriam os principais SUJEITOS a serem, punidos, portanto, ÚNICOS prejudicados na ACADEMIA.

    Portanto, esta medida radical decorrente desta manobra, INIBE MANIFESTAÇÕES CONTRÁRIAS, tanto que praticamente nenhum ESTUDANTE toca nesta MEDIDA DITATORIAL e PROVOCATIVA DO DIRETOR E PARTE DA CONGREGAÇÃO, por medo de prejudicar sua CARREIRA ACADÊMICA! E somos obrigados a entender esta atitude dos estudantes, principalmente pela forma ARTITRÁRIA E DITATORIAL que o Diretor e parte da CONGREGAÇÃO agem na Unifesp Pimentas!

    RUMOS DA GREVE 2012

    Quanto aos RUMOS DA VITORIOSA GREVE DE 2012, o fórum é a ASSEMBLÉIA GERAL DOS ESTUDANTES e não deve ser PAUTADA POR QUALQUER DOCENTE, a exemplo do ocorrido na SEMANA PASSADA.

    Voltando à OCUPAÇÃO: apesar dos RISCOS dos ESTUDANTES QUE FORAM PARA A OCUPAÇAO, é uma GRITANTE FALÁCIA QUE A OCUPAÇÃO SAIU DERROTADA, TANTO DA DIREITA REACIONÁRIA QUANTO DE OUTROS SETORES ISOLADOS DO MOVIMENTO!

    Estes setores não aceitam que o CENTRO DAS DECISÕES QUE APROVOU E MANTÉM A GREVE É A ASSEMBLÉA GERAL DOS ESTUDANTES e que resgata um conceito importante; DEMOCRACIA OPERÁRIA, que alguns entendem como ASSEMBLEÍSMO!

    Portanto, classificamos como um DESVIO PEQUENO-BURGUES chamar os estudantes que tem sua opção partidária no PSTU, PSOL e PCB e os INDEPENDENTES que também participaram da ocupação de traidores e golpistas.

    Isto sim alimenta as falácias reacionárias dos reais inimigos, inclusive esta GALERA PRÁTICO-UTILITÁRIA representada pelo “APLHACINHA ESCROTINHO” dentro de uma UNIVERSIDADE DE HUMANAS profere discursos PRECONCEITUOSOS, a exemplo da gozação aos estudantes de BOTUCATU.

    Além de preconceito explicito fomos “blindados” com outra pérola deste pseudo-estudante, representante de muitos “ALPHACETES” envolvidos pela “hermenêutica do afeto”, inclusive MULHERES: respondeu a uma ESTUDANTE, com argumento coercitivo comumente praticado contra a mulher por LACAIOS machistas da mesma estirpe do tal “Alphacinha Escroto” (leiam o blog da greve).

    Agora, o PIOR: quem está bancando estes PRÁTICO-UTILITÁRIOS DOIDIVANAS REACIONÁRIOS (os “Alphacinhas escrotinhos”)?

    SIMPLES: os mesmos ESCOLÁSTICOS QUE TENTAM PAUTAR OS ESTUDANTES CONTRA A GREVE, COMO SE FOSSE FÁCIL “ESCONDER O SOL COM A PENEIRA”, após este estado de coisas, tendo a PRECARIZAÇÃO DO CAMPUS PIMENTAS GUARULHOS como PONTA DE LANÇA.

    A outra FACE REVELADA NESTA HISTÓRICA LUTA DA UNIFESP PIMENTAS e que não ocorre somente na UNIFESP: o ACADEMICISMO-POSITIVISTA e pequeno-burguês que são responsáveis na formação destes SUJEITOS PRÁTICO-UTILITÁRIOS: os porco-chauvinistas “ALPHACINHAS ESCROTINHOS”.

    Esta farsa registrada nesta GREVE 2012 vai ficar para a história da ACADEMIA!

    A BANDEIRA DO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

    O Ministério da Educação, através de contado a partir do Governo de Guarulhos, se propôs a nomear uma COMISSÃO TÉCNICA para acompanhar os ESTUDANTES NAS NEGOCIAÇÕES. Agora, não se SURPREENDEM SE VÁRIOS PORTUNISTAS começarem a DISPUTAR ESTA BANDEIRA!

    Desta forma, cumpre REGISTRAR: os responsáveis para que o MINISTRO MERCADANTE SE INTEIRASSE DA HISTÓRIA A PARTIR DOS ESTUDANTES, TEM NOME: GREVE GERAL DE 2012 E A VITORIOSA OCUPAÇÃO DA DIRETORIA ACADÊMICA, que deu mídia e repercussão NACIONAL e um INTERLOCUTOR.

    TODOS À ASSEMBLÉIA DOS ESTUDANTES

    1. FORTALECER A ASSEMBLÉIA GERAL DO DIA 10/05/2012
    2. FORTALECER AS TAREFAS ORGANIZATIVAS DA AGENDA
    3. VAMOS ORGANIZAR PARA A QUINTA-FEIRA (CONSENSADO):

    A) DANÇA DA QUADRILHA E MODA CAÍPIRA
    B) CALDÃO DA GREVE – GALINHA CAIPIRA
    C) ATO CONTRA O PRECONCEITO E O MACHISMO

    A LUTA CONTINUA, PRECISAMOS CONSOLIDAR NOSSA PAUTA DE REIVINDICAÇÕES.
    ASSEMBLÉIA GERAL – 10 DE MAIO DE 2012 – 19H00MIN.

    filosofiadapraxisunifesp disse:
    1 de maio de 2012 às 12:55 pm
    GREVE UNIFESP 2012
    * Por uma EDUCAÇÃO PÚBLICA GRATUITA, UNIVERSAL, DEMOCRÁTICA E DE QUALIDADE
    * Por uma UNIVERSIDADE sem MUROS
    * Contra: CRIMINALIZAÇÃO de 100 ESTUDANTES
    * Contra: PRECARIZAÇÃO e TRANSFERÊNCIA DO CAMPUS PIMENTAS PARA SÃO PAULO
    * Contra: BUROCRACIA ESCOLÁSTICA ASSISTENCIALISTA
    GREVE E OCUPAÇÃO UNIFESP PIMENTAS – MAIO DE 2012

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s