Esse movimento vazio…

Esse post foi publicado em mobilização e arte e marcado , . Guardar link permanente.

12 respostas para Esse movimento vazio…

  1. ALESP: AUDIÊNCIA PÚBLICA DIA 21/05/2012- 19h00min.
    TODOS À ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DE SÃO PAULO. A LUTA CONTINUA!

    Após cinco assembléias consecutivas, ampla maioria dos ESTUDANTES do Campus Unifesp Pimentas-Guarulhos votaram pela CONTINUIDADE DA GREVE.

    De nada adiantou as “verdades inventadas” contrárias à greve, tais como: praticar violência explicita (preconceitos, machismo, discriminações diversas e bullying) nas redes sociais e corredores da universidade, sem dizer ainda, a recente violência física, ato isolado e abominado pela grande maioria.

    O que pode explicar este “fenômeno social” que ao longo da história vem sendo utilizado pela humanidade em todos os níveis sociais e “intelectuais” veja o caso da DOCENTE DOUTORADA, rechaçada até por seus colegas no caso da acusação de que um aluno ESPECULAVA se utilizando da greve?

    O artigo de Hélio Schwartsman, FSP, A2, Opinião, 12/05/2012 traz algumas reflexões que podem contribuir na busca do entendimento sobre “fenômeno social”, adorado nos BB da vida. No texto tem uma citação que vale repetir: “Segundo o antropólogo, com o advento da linguagem, mexericos substituíram a catação de piolhos que, entre primatas, constituíam a principal atividade social. Passamos a usar o fuxico para nos relacionar com os semelhantes e definir quem era ou não confiável, e, a partir dái, forjar alianças e coalizões.”

    Não vamos entrar aqui no debate sobre as teses evolucionistas, criacionistas ou céticas, mas que os efeitos da FOFOCA são um atraso social fica difícil negar! Em tempo, qualquer semelhança “pode ser” mera coincidência – “ta” lançado o desafio!

    Vamos superar as diferenças!

    O “encanto da sereia” que nos embalava por estar numa UNIVERSIDADE PÚBLICA FEDERAL, escafedeu-se. A dura realidade da PRECARIZAÇÃO; as famosas pedaladas da BUROCRACIA ACADÊMICA e a FALACIA de parte dos estudantes e docentes, contrárias a qualquer tipo de luta pelo direito coletivo, foram seguidamente derrotadas nas assembléias gerais.

    Cumpre destacar algumas pérolas contra a mobilização, tais como: “A GREVE NÃO É A ÚNICA OPÇÃO”; “O COMANDO MANIPULA”; “OS PARTIDOS QUEREM SE APROVEITAS DO MOVIMENTO”; “A LUTA É POR INTERESSE PARTICULAR DE ALGUNS ESTUDANTES”; “OS PIQUETES É UMA VIOLÊNCIA”; “SÃO RADICAIS DEMAIS” entre outras, possibilitando montar um pequeno livro de auto-ajuda para todos aqueles que aceitam o “CONFORMISMO COMO FORMA DE VIDA” e tem nome: PRÁTICISMO-UTILITARISTA!

    Outro paradigma que deverá ser superado é a questão de alguns estudantes partirem para o discurso de “eliminar” do movimento os que optam por militar nos partidos ou movimentos políticos organizados. É um engano que pode ser desastroso, até porque ao longo da história, errando ou acertando, estas organizações demonstram ser ferramenta poderosa na luta da maioria contra uma minoria detentora do poder. Não se iludam: esta minoria tem seus partidos e movimentos organizados.

    OS INDICATIVOS APONTAM: A VITÓRIA ESTÁ PRÓXIMA.

    Mesmo com as sucessivas guerras de informações na luta direta ou na internet, sejam antes, durante ou após cada assembléia, a grande maioria dos estudantes, organizados ou independentes, deverá optar pelo FIM DA GREVE somente após REAIS GARANTIAS de que 2012 não repitam 2010 que, mesmo após votarem o FIM DA GREVE, foram traídos pela BUROCRACIA DA UNIFESP: PRÉDIO “FANTASMA” e PRÁTICA REPRESSIVA!

    Apenas para registro: mais de 150 ESTUDANTES EM 2010 VOTARAM PELA CONTINUIDADE DA GREVE, até porque não confiavam nesta BUROCRACIA E NO PROJETO REUNI não quanto à expansão – mas pelo DNA deste projeto e a falta de estrutura com qualidade e ainda a CRIMINALIZAÇÃO DOS 48!

    TODOS À LUTA: UNIVERSIDADE PÚBLICA, GRATUITA, UNIVERSAL E DE QUALIDADE!

    Agora com o ROMPIMENTO DO ISOLAMENTO do Campus Pimentas-Guarulhos e que deu MÍDIA, as AUTORIDADES “MEC e ALESP”, no mínimo, poderão constatar a INTRANSIGENCIA desta direção em RECUSAR A AUDIÊNCIA PÚBLICA NOS PIMENTAS (e talvez na ALESP) para inicio das NEGOCIAÇÕES que venham para SOMAR pela nossa pauta. Entrem no “olho do furacão” sem misturar eventuais “DISPUTAS ELEITORAIS 2012”!

    ESTUDANTES: neste momento o FOCO é CENTRALIZAR NA PAUTA REIVINDICATÓRIA elaboradas pelos ESTUDANTES e DOCENTES, além da esquecida pauta dos TÉCNICOS (2010), possibilitando avançar e desmascarar se toda esta PRECARIZAÇÃO DO CAMPUS PIMENTAS-GUARULHOS a exemplo dos demais Campi, inclusive a Vila Clementino.

    Com certeza no mínimo estará no centro, além da pauta – NOSSO PRINCIPAL OBJETIVO NESTA FASE, identificar com CLAREZA, eventuais responsáveis e sabemos que nesta estrutura de poder da UNIFESP, tem os SUJEITOS, resta saber que será a BOLA DA VEZ a ser apontado como responsável:

    i) DIRETOR ACADEMICO e PARTE DA CONGREGAÇÃO do Campus Pimentas-Guarulhos!
    ii) REITORIA (parte direção da EPM) e PARTE DO CONSU (parte direção da EPM)!
    iii) PT – Partido dos Trabalhadores e MEC!
    iv) MOVIMENTO ESTUDANTIL!

    Sabemos que grande maioria dos ESTUDANTES, DOCENTES E TÉCNICOS é contra a “GREVE PELA GREVE” e querem ver a MATERIALIZAÇÃO das pautas!

    Temos de discutir o REUNI, no entanto, sem uma vitória concreta nesta fase, corremos o risco de desmoralizar este importante instrumento de luta: MOBILIZAÇÃO ESTUDANTIL e seus instrumentos de luta: greve, passeatas, a necessária OCUPAÇÃO em resposta a truculência da DIRETORIA ACADÊMICA e parte da CONGREGAÇÃO entre outros, afinal: só é possível construir uma caminhada, caminhando!

    Até a vitória!

    Assina: “COLETIVO FILOSOFIA DA PRÁXIS”
    Campus Pimentas- Guarulhos, maio de 2012

  2. Renato disse:

    AS CONCEPÇÕES PÓS-MODERNAS DO ME

    O medo individualista pós-moderno, expresso nas camadas pequeno burguesas despolitizadas, e a falta de tradição de lutas desses setores são fatores importantes para impulsionar formas de apreensão e percepção da realidade que tem sua conceituação voltada para trás.
    Oque isso quer dizer?
    Em primeiro lugar que o medo da greve, o receio de perder o semestre, a ânsia pela volta das aulas, demonstram que nessas cabecinhas, o poder instituído é eterno e imutável, aos moldes da divinização do progresso e do formato de Estado presentes na Ideologia hegeliana e no positivismo. Isso dá um medo, um “frio na barriga”, que nada mais é do que a sensação de pecar, o medo da punição eterna e torturante do pai divino.
    Em segundo lugar, que o discurso fascista típico do CCC e do maccarthismo se torna presente quando as forças progressistas não conseguem se apresentar como alternativa confiável para as bases. Isso dá algumas tarefas aos companheiros que estão tocando a greve pra frente.
    Ora, o próprio Marx na questão judaica nos alerta para que não atropelemos a base para não perder de vista o apoio das bases e das massas, o que implicava num tom mais ameno para o trato com consciências medrosas e despolitizadas, que não conseguiam se desvincular da visão religiosa, metafísica, divinista, irreal e que contribui para a manutenção do status quo.
    Isso de maneira nenhuma significa tolerância ao machismo, à homofobia, ao elitismo, e a formas fascistas de apreensão da realidade.
    Nesse sentido, é necessário um trabalho de base forte para politizar as pautas, o que significa articulá-las com o REUNI e, consequentemente, com o modo de produção hegemônico globalmente, discutir seriamente as táticas e estratégias do movimento, buscar ampliar nosso apoio e adesão para conquistar as pautas discutidas e deliberadas democraticamente, através de um amplo processo, que passou pelas plenárias do comando de greve, pelas assembleias de curso, e pela assembleia geral dos estudantes.
    Os estudantes que seguem defendendo com veemência a burocracia, seja por puxa-saquismo, medo, falta de análise de conjuntura, oportunismo, carreirismo, ou por ter uma visão política direitosa e estreita convicta, devem ser combatidos politicamente, pois claramente representam um entrave aos interesses da nossa categoria – deliberados coletivamente, como já exposto acima – e defendem aos interesses da burocracia acadêmica, que quer retomar a ordem sem atender as reivindicações. Logo, fica claro – sem maniqueísmo – que assumem o papel de inimigos políticos.
    Portanto, é importante demonstrar que as formas instituídas como estrutura de poder da universidade não são naturais, e que devem ser contestadas para que a correlação de forças fique favorável à categoria mais representativa e progressista da comunidade acadêmica, os estudantes.
    A luta pela universidade popular passa pela estrutura de poder da universidade – que deve ser descentralizada -; passa pela demanda da extensão, da pesquisa e do ensino – que deve ser ditada pelos interesses políticos, econômicos e culturais das massas trabalhadoras – ; passa pela forma de organização do movimento estudantil – que deve organizar o DCE em conselhos de campus que elejam seus delegados, etc.
    Por isso, estudantes, não tenham medo do bicho, ele pode te pegar, ele pode te matar, mas juntos e organizados ele corre de nós. Vamos fortalecer o comando de greve, preenchê-lo politicamente da forma adequada, assumir as práticas da crítica retificadora das concepções errôneas, reacionárias e pós-modernas, e realizar a auto-crítica quando for correto.
    PELA UNIVERSIDADE POPULAR!
    PELA AUTONOMIA DO MOVIMENTO ESTUDANTIL!
    CONTRA OS PARASITAS ACADÊMICOS!
    PELO DCE DE CONSELHOS!
    TODA FORÇA A GREVE!

    • Frida kahlo disse:

      Viva a burocracia! Viva o carreirismo! Viva a meritocracia! Pois sao elas que pagam minhas contas! E não e nenhum vagabundo sustentado pelos pais ou pelo Estado que vai me dizer como viver! Viva para sempre a propriedade privada!

    • Ana disse:

      Muito bom o texto, Renato!!
      Só lembrando que a ALIENAÇÃO do processo produtivo- do trabalho, do estudo, da produção científica- gera o conservadorismo, a reação. A burocracia acadêmica e seu escudo são doutoras nisso!
      Combater a alienação é avançar na consciência de classe! Alias, se eu não souber que sou eu que pago as minhas contas com o meu trabalho escravo, fica até difícil pagar pau pra reitoria!
      Chegaremos lá, camarada!

  3. Alpha disse:

    Parasita acadêmico é aquele que acumula reprovações sem fim kkkkk

    • Durruti disse:

      Com certeza. Falam do Governo Federal como agente do sucateamento das Universidades, mas são tão oportunistas que adoram receber o apoio financeiro dessa figura histórica repressiva! Como é bom combater o inimigo e ao mesmo tempo ser sustentado por ele e pedir mais garantias do mesmo!

      VIVA A REVOLUÇÃO MARXISTA!

  4. APROVADO INÍCIO DA GREVE DOS DOCENTES DAS UNIVERSIDADES!

    Professores presentes na reuniões do Setor das IFES do ANDES-SN ontem, dia 12 de maio, aprovaram a deflagração da greve da categoria no dia 17 de maio. Participaram 40 das 67 Seções Sindicais do ANDES-SN nas universidades e institutos federais, com 60 professor@s debatendo a importância da greve para que o governo atenda nossa pauta – que vai muito, mas muito além de 4% de acréscimo no nosso salário. Queremos ser valorizad@s pelo nosso trabalho, queremos condições dignas e educação pública de qualidade.

    Veja os encaminhamentos da reunião:

    1. Greve nacional dos docentes das Instituições Federais de Ensino Superior por tempo indeterminado a partir do dia 17 de maio.

    2. Agenda:
    14/15 de maio, rodada nacional de Assembleias;
    15 maio, GT carreira docente;
    16 de maio, reunião do Fórum dos SPFs com o governo;
    17 de maio, instalação do comando nacional de greve, as 14h na sede do ANDES-SN;
    17 de maio: instalação dos Comandos Locais de Greve
    3. Pauta: Explicativo no item 1 da pauta – Carreira única com incorporação das gratificações em 13 níveis remuneratórios, com variação de 5% entre níveis a partir do piso correspondente ao salário mínimo do DIEESE/20h, e percentuais de acréscimo relativos à titulação e ao regime de trabalho; Destaque no item 2 para as pautas locais.

    E muito importante que façamos um esforço para estarmos presentes às Asembleias de deflagração da greve que ocorrerão por todo o país nesta semana. Precisamos ter Assembleias representativas, principalmente porque o governo já acenou com a publicação de uma MP em caráter de urgência na 2ª feira que atende a uma parte do acordo firmado em agosto do ano passado – incorporação da GEMAS/Gedbt e aumento de 4% (que sequer repõe a inflação do período), mas deixa de fora a nossa carreira e os adicionais de insalubridade e periculosidade. A avaliação comum durante a reunião do Setor das IFES de ontem é de que este gesto é mais uma cortina de fumaça levantada pelo governo para tentar impedir a greve que, neste momento, seria extremamente prejudicial a ele. Além disso, abortar a greve dos docentes das IFES servirá também de freio para a deflagração da greve de outras categorias dos SPF, notadamente aquelas ligadas à Educação, como o SINASEFE e a FASUBRA.

    As Universidades que ainda não aprovaram o indicativo de greve deverão construir a sua mobilização visando a entrada em greve o mais rápido possível. Portanto, é fundamental que também estejamos presentes nestas universidades, chamando outros docentes para esta construção.

  5. spirituarise disse:

    Para quem não quer perder tempo, lendo nada, que esses esquerdistas analfabetos adoram escrever, sim, essa já manjadissima teoria meta- cientifica que nunca muda, farei aqui um resumo de todas as idéias que eles e defendem e criticam. Sim, esquerdistas, pouparei o pouco trabalho que vocês fazem, assim poderão viver como querem, vivendo do dinheiro do Burguês! E sem trabalho nenhum! Vagabundos.

    Por Spirituarise.

    Cada vez mais a direita perde-se em seu fascismo moralista e individualista para com a sociedade social socialista que socializamos para com nossos sócios, ou seja, vocês, jovens!
    Vocês são crias deste astro consumista/totalitário e descartável, que faz escusa da feição em avaria do coração. São insano-maníacos e incultos, marionetes do sistema capitalista/moralista excludentes, pessoas que têm medo de se acharem consigo mesmas e assim caçam sempre o cumprimento exterior nos objetos. Não encaram a si mesmos nunca… Ajuízam que quanto mais incluírem, melhores serão (o que é completamente falso, pois estão culminando a essência pura anti meritocrática de que Rousseau ponderava (sim, este ser maravilhoso, que abandonou os cinco filhos que teve, pois pensava muito no coletivo).

    Vocês são crias ou meros mortais do mundo capitalista, enfermados (como dizia Sócrates, “viver é estar doente por muito tempo”) por uma mentalidade materialista/utilitarista, humanos que nunca serão bem-aventurados, pois continuamente estarão amarrados mais e mais dos objetos materiais. E é no consumismo e da manufatura cultural, da correção e mercantilização de todos os valores, valores, sim, valores humanos, que os objetos são criados e replicados imensamente – junto com a suposta e ilusória precisão deles (sim, Deus Marx, Ponderava pequenos filhotes). Isso é: Para sempre vocês serão aborrecidos, tristonhos e insatisfeitos e tão distantes de si mesmos. Tenho pena de vocês… Moralistas miseráveis propagadores do egoísmo objetivo subjetivante do mundo subjetivo.

    Sou um crítico decisivo e astuto deste mundo corporativo e violento da sociedade excludente em que existimos e vegetamos, não vivemos, pois viver é ser coletivo: esse mundo da aleivosia, da busca psicótica pelo sucesso, pelo lucro, pela competição e pelos bens materiais. O mundo corporativo é uma imundice e merece ir para a lata do lixo junto com vocês, tenho pena de vocês, travestido de uma caluniadora aparência enganadora de racionabilidade e “ciência”, igualmente produtos da superestrutura desse capitalismo nefasto que só destrói a Natureza (Sim, A natureza, O meio Ambiente tão sagrado, é tudo que temos! Seus assassinos burgueses) e fere a alma das pessoas.

    É enganador articular que no mundo do fascismo-neoliberal excludente dos excluídos, (Sim fascista, criando pessoas, obrigadas a viver em celas por crimes cometidos pela própria sociedade ao excluir tal individuo) de hoje há “liberdade”. (Mesmo que o indivíduo pós-moderno apresente o atinente direito corriqueiro burguês de ir e vir, ele está preso a uma concepção medíocre, pobre e demente sociopata de mundo) (Aqui que as ciências humanas, entram, viemos mudar e tirar vocês dessa miséria anti-humana), preso à coação psic. da cultura do trabalho, e do consumo, preso a um arroio de conceitos e símbolos comerciais que desencadeiam em sua mente todo um borbulhar de emoções fabricadas pré-concebidas (Que nós, que lutamos pelo homem, já nos livramos e vocês não) sob consignação que lit. assumem o controle de sua vida e seus desejos imorais. Ou seja, sua alma é tudo, menos livre. Abra suas asas, Jovem, um mundo melhor está chamando;

    O capital escraviza almas. tolos como Benjamin, Hayek, Smith, Mises não vê que a cultura de massas é um regime ditatorial dos mais autoritários e violentos para com a sociabilidade sociável da sociedade socialista que socializamos.

    Logo, há a indigência de se designar “novos” alvitres para consumo exacerbado e individualista, a fim de se gerar a supervivência do mundo corporativo totalitário que assume o controle de almas vazias, explico-me, tem movido as pessoas à fronteira da insanidade e da futilidade capitalista direitista e fascistoide (Amamos palavras excluídas, assim como amamos você, jovem) Um graúdo e alarmante vazio abarrota suas almas, mas a publicidade capitalista fascistoide os alucina e cega de que os bens materiais os libertarão dessa angústia que ele mesmo ajusta. Como pondero sempre, vocês são miseráveis. Sendo assim, vocês são viciados, pois o capitalismo é uma droga que não é combatida ainda,
    E, como toda droga, (exceto maconha, cocaína, cigarros, não são drogas, pois nós entendemos que é natural para o ser humano, se libertar das correntes impostas pelo capitalismo fascistoide direitista) este vício aniquila a alma até o extremo tempo em que só restam ao homem duas opções: a loucura ou o suicídio… Portanto jovens, vamos a luta por um mundo melhor, Agora!!!

    Spirituarise. É formado em ciências sociais pela USP, Mestre em filosofia e antropologia também pela USP, define-se como sociólogo, e luta pelo direito a vida, é ambientalista, anti-capitalista, com criticas ferrenhas ao modelo capitalista escritas no livro, Capitalismo: prisão e demência, é militante do PSOL Porém apóia o PT, PCB e PC do B. é a favor dos homossexuais, e não acredita mais em gêneros. Também é ativo nas ONGs (Feministas, garotas comecem a dar, mais e mais) (E eu quero um filho estudando humanas), e acredita nos movimentos sociais, logo, ele acredita em você, jovem cidadão do mundo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s