Professores em GREVE!!!

Professores da Unifesp aderem à greve nacional; pelo menos 40 universidades estão paradas

Do UOL, em São Paulo

Professores de cinco campi da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) decidiram entrar em greve nesta terça-feira (22) – apenas os professores de Guarulhos não aderiram à paralisação. A decisão foi tomada durante assembleia geral e faz parte do movimento nacional de paralisação das universidades federais. Os professores da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) também decidem hoje se vão aderir à greve. Até o momento, 40 universidades estão paradas, além de 3 institutos federais.

Segundo Virgínia Junqueira, presidente da Adunifesp (Associação dos Docentes da Unifesp), os professores de Guarulhos participam das mobilizações, mas ainda não aderiram à paralisação porque os alunos da unidade estão em greve há mais de dois meses. A próxima assembleia geral está marcada para o dia 29 de maio. Os campi paralisados são: Baixada Santista, Diadema, Osasco, São José dos Campos e São Paulo.

Segundo o Andes-SN (Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior), a categoria luta pela reestruturação da carreira de docente e por melhores condições de trabalho.
Na UFF (Universidade Federal Fluminense), os professores entram em greve hoje. Uma assembleia está marcada para as 14 horas no auditório da Faculdade de Educação para traçar os rumos do movimento grevista. Às 16 horas, os professores fazem manifestação na Praça do Araribóia, em frente à Estação das Barcas em Niterói.
Já na UFPB (Universidade Federal da Paraíba), mais de 40 mil alunos estão sem aula também desde o dia 17. A reitoria reconhece a forte adesão da greve (em torno de 90%) nos quatro campi da instituição.
Na UFPI (Universidade Federal do Piauí), segundo o presidente da Aduf-PI (Associação dos Docentes da Universidade do Piauí), Mário Ângelo Meneses, a greve atingiu todos os cinco campi.
Segundo a Associação de Docentes da UFRPE (Universidade Federal Rural de Pernambuco), a greve tem adesão de 95% dos professores na instituição e paralisa aulas nos três campi.
A UFMA (Universidade Federal do Maranhão), por sua vez, está com 80% dos docentes parados, segundo a associação de professores.
Já na Ufal (Universidade Federal de Alagoas), há pautas locais. As duas principais são: falta de segurança nos campi de Maceió e Arapiraca (que ficam ao lado de presídios e são alvos constante de invasões de presos em rota de fuga) e luta pela não terceirização dos serviços do Hospital Universitário.
Na UFV (Universidade Federal de Viçosa), segundo a presidente do comando local da greve Márcia Fontes Almeida, há mil docentes divididos nos campi Viçosa, Rio Paranaíba e Florestal. No dia 15 deste mês foi feita uma assembleia entre 200 professores e 183 declararam serem a favor da paralisação.
Na UFU (Universidade Federal de Uberlândia), a situação é parecida. De acordo com o presidente do comando local, Antônio Cláudio Moreira Costa, 50% dos 1,8 mil professores do ensino básico e superior dos campi de Uberlândia, Pontal do Triângulo Mineiro e de Patos de Minas aderiram ao movimento.
Em Juiz de Fora, a greve na UFJF (Universidade Federal de Juiz de Fora) começou nesta segunda.Os professores da UFTM (Universidade Federal do Triângulo Mineiro), em Uberaba, aderiram ao protesto na quinta-feira (17).
a Ufop (Universidade Federal de Ouro Preto), a greve gera grande mobilização de docentes com apoio de alunos desde quinta-feira. De acordo como o presidente da seção sindical, David Pinheiro Júnior, são 600 professores na instituição e adesão é de quase 100%. A UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), por sua vez, não aderiu à greve pelo fato de seus professores não estarem filiados à Andes-SN, o sindicato nacional da categoria.
Os professores da UFRJ podem se juntar aos da UFRRJ (Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro), que cruzaram os braços no último dia 17. Segundo o movimento grevista, a adesão é de 90% dos profissionais de educação.
A UnB (Universidade de Brasília) entrou em greve nesta segunda-feira. Há pautas locais, tais como melhoria da infraestrutura e das condições de trabalho. A reitoria da instituição diz que não se coloca “nem contra, nem a favor” do movimento.
Na UFMT (Universidade Federal do Mato Grosso), todos os professores estão parados, afirma a associação dos docentes. Em Cuiabá, afirma o órgão, 93% deles estão sem trabalhar desde o dia 17.
Já na UTFPR (Universidade Federal Tecnológica do Paraná), professores dos campi de Curitiba, Apucarana, Campo Mourão, Francisco Beltrão, Londrina e Ponta Grossa entraram em greve por tempo indeterminado. A adesão é maior na capital, onde nesta segunda-feira (21) 80% das aulas não aconteceram. A UTFPR diz que a adesão à greve não é total, mas não tem estimativa de quantos professores trabalham nos campi. Para a reitoria, a greve é um “direito dos professores”. Ao menos por enquanto, não há previsão de suspensão do calendário escolar.

Esse post foi publicado em Acontece no campus, Notícias e marcado , , . Guardar link permanente.

4 respostas para Professores em GREVE!!!

  1. Pedro Camargo disse:

    Por informações que eu tive, não houve votos contrários, apenas 14 abstenções correspondentes ao Campus Guarulhos. Eles teriam se abstido, justamente porque nossos docentes ainda não realizaram uma discussão sobre as pautas que o ANDES leventou há mais de ano…

    Isso não significa que não venham a aderir à nossa luta pela Educação.

    De qualquer forma, me faz refletir sobre a fala de vários professores da EFLCH que alegavam que “greve não leva a nada”. Agora são mais de 40 universidades e 3 institutos paralizados por tempo indeterminado, com pautas de reinvindicações docentes, discentes e de funcionários !

    Quem está isolado agora ?

  2. PEDRO CIÊNCIAS SOCIAIS TURMA 2008 disse:

    Professores de cinco campi da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) decidiram entrar em greve nesta terça-feira (22) – apenas os professores de Guarulhos não aderiram à paralisação. A decisão foi tomada durante assembleia geral e faz parte do movimento nacional de paralisação das universidades federais.

    !NOTICIA RETIRADA DA UOL!!!!!! MENTIRA QUEM COLOCOU ESSAS NOTICIAS AI!!!! POIS EM NENHUM LUGAR FALA QUE A UNIFESP GUARULHOS ENTROU EM GREVE, ENTÃO NÃO MINTAM E NAO TENTEM MANIPULAR NINGUEM!!!! COLOQUEM O CERTO!! O JUSTO!!! QUE APENAS 5 CAMPI DA UNIFESP ENTRARAM EM GREVE, MAS O DE GUARULHOS AINDA NÃO SE POSICIONOU…..
    http://educacao.uol.com.br/noticias/2012/05/22/professores-da-unifesp-aderem-a-greve-nacional-pelo-menos-40-universidades-estao-paradas.htm

    AQUI ESTA O LINK PARA TODO MUNDO VER!!!! BLOG MANIPULADO!!!!

    • Alpha disse:

      Se esse semestre for por água abaixo, sua formação nesse ano fica comprometida?

    • Bru disse:

      Qual a diferença? 5 campi? ok 5 campi. Menos Guarulhos? Ok, menos Guarulhos. Na boa, foi colocada a mesma coisa que você alegou, todos sabemos que os sites muitas vezes não coincidem, mais veeeelho, é a mesma informação. To indignada, é exatamente o que você disse, não está escrito na notícia que Guarulhos está em greve e sua pessoa posta: “POIS EM NENHUM LUGAR FALA QUE A UNIFESP GUARULHOS ENTROU EM GREVE, ENTÃO NÃO MINTAM E NAO TENTEM MANIPULAR NINGUEM!!!!” Qual a manipulação? Está escrito justamente que não está…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s