Moção de apoio à ocupação do Campus Guarulhos e repúdio à criminalização do Movimento estudantil

Os estudantes da Unifesp, reunidos em Assembleia de todos os campi no dia 31 de maio de 2012, declaramos apoio total e irrestrito à ocupação do Campus Guarulhos da Unifesp.

Essa ocupação escancara as contradições que surgem com o projeto mercadológico do governo federal, o REUNI. Um projeto que dá primazia às demandas do mercado, do Capital, precarizando e sucateando a educação pública.

O movimento, em Guarulhos, se valeu de todos os métodos institucionais de diálogo, mas a reitoria e a diretoria acadêmica foram intransigentes e se negaram a negociar, além de usar de ameaças e sindicâncias como praxe – isso fica claro na questão dos 48 estudantes processados.

Assim, se fez necessária a ocupação do Campus, incluído aí o Restaurante Universitário. A reitoria diante dessa situação manteve sua postura de criminalização e perseguição dos estudantes em luta.

A Universidade é antidemocrática, desde a sua posturadiante de movimentos reivindicatórios , até aos seus conselhos de representação, como o CONSU, que mantém a lógica dos 70% de representatividade para professores e 30% divididos igualmente entre estudantes e técnico-administrativos.

Essa Assembleia, portanto, declara seu apoio à luta em Guarulhos; declara também repúdio à intransigência e à criminalização do movimento estudantil, como forma de mascarar a incompetência administrativa dos burocratas da Unifesp.

Todo apoio às lutas da Unifesp!

Repúdio à criminalização dos movimentos sociais!

Estudante não é criminoso!

Esse post foi publicado em Cartas e marcado . Guardar link permanente.

8 respostas para Moção de apoio à ocupação do Campus Guarulhos e repúdio à criminalização do Movimento estudantil

  1. Alpha disse:

    Como não devemos aceitar o que lemos de modo incondicional, o que inclui até o que se comenta por aqui, vale pensar acerca dessa moção de apoio a nós… sim, tem gente nos apoiando! Quem observa o calendário acadêmico dos outros campi que dão apoio notará que o semestre letivo para eles, além de começar mais cedo, terá seu término com o mínimo de prejuízos, uma vez que a paralisação docente, da qual muitos discentes seguiram, iniciou-se praticamente no final de maio. Portanto, é muito fácil escrever qualquer coisa em solidariedade a alguém quando não é você que arcará com prejuízos de toda a sorte. Sem contar que, aos olhos do discente de Guarulhos, é evidente que tanto essa paralisação quanto a ocupação já não contam mais com apoio da maioria.

    Vê-se um fato curioso na condução dessa paralisação: trata-se do quorum necessário para obtenção de aprovação para ações mais extremadas, invasão da diretoria acadêmica, por exemplo. Torna-se óbvio que, pelo menos no tocante à última assembleia não havia sequer o mínimo para se deliberar nada, no entanto, a propaganda mentirosa desse movimento diz que fora decisão “soberana”, o mais curioso é que esse grupo simplesmente conseguiu esvaziar o campus, tanto que me surpreendi ao ver tão pouca gente numa assembleia.

    Ao voltar para casa fiquei pensando no porquê disso, talvez a maioria não tenha ido porque já saberia que ela seria tão manipulada quanto foi a do dia 10/05 e serviria, portanto, apenas para atribuir falsamente o caráter da “soberania” daquela reunião. E para os que realmente creem na soberania do resultado da assembleia do dia 10/05… bom… tenho para mim que os alunos de Guarulhos são inteligentes o suficiente para saber que algo soberano sequer suscita qualquer tipo de comentários contra, e quando isso acontece, geralmente se restringe a um número bem pequeno de pessoas. Qualquer pessoa que dispõe do mínimo de sensatez observará que a condução dos trabalhos na assembleia sempre teve como meta a prorrogação dessa paralisação, basta ver a forma ridícula (porém eficaz) com a qual esse grupo protela a votação visando tão somente a dar “canseira” naqueles que, em muitos casos, trabalhou o dia todo. De certa forma, o atual grupo que se diz representante do movimento estudantil tira vantagem das próprias dificuldades do aluno, com isso quero dizer o seguinte: a condução dos trabalhos é baseado no público que estará presente, este com certeza enfrentará difícil deslocamento do trabalho (ou de casa) para o campus, chegará cansado e impaciente, é óbvio que quando se começa a dar canseira em alguém que já chega ao campus nessas condições este aluno, além de não dar crédito ao movimento, haverá grande probabilidade dele não comparecer à assembleia seguinte.

    E sinceramente… para mim o movimento estudantil no campus Guarulhos exige renovação pura e simplesmente porque está moralmente falido, está mais do que evidente que não há qualquer tipo de representatividade estudantil nesse grupo de pessoas que, por insight, resolveu que o prédio da Unifesp é de sua propriedade.Por mim pode haver moções de tudo quanto for lugar, mas o que terá validade maior é a manifestação daquele que, por causa de alguns, terá sua formação deterioriada e, obrigatoriamente, arcará com as consequências de uma fantasia que perdeu o controle. Tudo isso por causa de vaidades que não aceitam a própria ignorância e, principalmente, não aceitam o “outro”.

    • spirituarise disse:

      Oi, vou responder nesta matéria a questão do outro tópico, Não há diferença nas matérias, somente um bocado mentiras muito mal orquestradas, e não está engraçado “Trollar” a esquerda guariba, pois estou com infelicidade por eles, há mais de dois meses, logo é impossível diversão, quando se tem pena.

      Uma definição formal de esquerda e direita é basicamente que a direita, capacita-se no estado mínimo, onde o estado não definha a economia, e substancialmente a direita capacita-se por defender a Moral, a Veracidade, a Família, os Valores de Bem, o Trabalho duro, A liberdade, a Razão, A racionalidade, A propriedade, o que é Justo e Verdadeiro, a benevolência, a reciprocidade e todos os inícios greco-romanos e judaico-cristãos em que se alicerça a Civilização Ocidental, Sempre com muita Honra, acima de quaisquer outras qualidades humanas.

      Já a esquerda acastela essencialmente o oposto descrito acima: o aniquilamento de nossa civilização por meio do desconstrucionismo, relativismo, feminismo, do libertinismo putrefato, do abortismo, do multiculturalismo, do gayzismo coletivo, do paternalismo (Não somente estatal), do sindicalismo, do estatismo, da contracultura, do ambientalismo, do globalismo, do comunismo, de falsas concepções acerca da economia, do divórcio, do roubo, insensatez, mediocridade, da mentira (A esquerda tem por principio mentir acerca de tudo) é pejorativo falar isso sobre esquerdistas? É, porém não deve-se esperar mais do que isso da esquerda. Uma pequena amostra da esquerda para o senhor:

      http://www.anda.jor.br/13/09/2010/ecofeminismo-%e2%80%93-veganismo-femininismo-e-libertacao-humana

      Sempre que escreve algo, percebo que você entende que educação superior deve-se ao fato de formar profissionais nas áreas, correto? Educação é um investimento, sendo assim sou terminantemente contra universidades públicas gratuitas, que é somente mais uma forma cretina de estatismo, o campo de humanas da Unifesp é a prova disso, um exemplo? Diga-me que diabos fazer com um diploma em ciências sociais, onde é claro a falta de demanda por estes serviços? O estado tem um papel para isso, criar centenas de empregos públicos para estes parasitas, (Em outras palavras, os comunistas, dormem, comem, vivem, e muito bem, e a conta quem paga somos nós).

      Percebo que você concorda com uma paralisação de estudantes (e não de criminosos), porém mantendo os direitos do individuo de decidir o que é melhor para si mesmo, chama-se isso de social democracia, é o que nós deveríamos estar vivendo nos dias de hoje (A esquerda enraizou de uma forma, que já não temos mais oposição, somente trocamos um tirano por outro) e o modo de governo que o regime militar desejava, quanto à greve desses incompetentes em viver, lamento por quem ainda não percebeu que todos eles, sem exceção, são bandidos e chantagistas de pior espécie e estão todos no mais baixo escalão da imoralidade humana.

      Um ponto interessante. Esses grupos de esquerda (ou minorias) só têm voz por causa do estado, um exemplo? Leis que criminalizam a homofobia (Neste caso, seria, a violência contra homossexuais), porém a lei não age dessa forma, a mesma vai criminalizar qualquer ofensa sofrida por essa suposta minoria, sem o poder do estado, essa lei, sequer seria pensada, outro dia neste blog, tinha uma feminista, exigindo que o machismo se tornasse crime (É sério), ou seja, caso você encontre uma vadia na rua, mostrando o rabo como se fosse um frango na grelha, você não vai poder dizer: – Quanta Indecência! Ou você pode ir preso.

      “O estatismo é um sistema de violência institucionalizada e de guerra civil perpétua. Não resta ao homem nenhuma alternativa senão a luta pelo poder — roubar ou ser roubado, matar ou ser morto. Quando a força bruta é o único critério de conduta social, e a rendição à destruição é a única alternativa, até mesmo o último dos homens, até mesmo um animal, irá lutar. Não pode haver paz em uma nação escravizada.” Ayn Rand

      “Aquele que deseja paz e harmonia nas relações humanas deve sempre lutar contra o estatismo.” Ludwig Von Mises

  2. Mario Medina disse:

    A minoritária e fascista TFP pira nesse blog,hein…
    Ainda ontem eu fiz um apelo para que essa direita raivosa parasse de ficar no discurso raso e nos xingamentos,e pelo que vejo até que esses caras estão bolando um discurso menos simplista,mas de extrema intolerância contudo.
    Se eles não fossem tão medrosos de mostrar a cara e parar de usar fakes acho que iriam reediatar a marcha da Fámilia com Deus pela liberdade.
    Curioso é que eles falam de moral,inclusive de moral cristã,mas são incoerentes na prática.Ficam aqui chamando as meninas de vagabundas e tal,numa clara manifestação de julgamento e escracho,o que não é nada cristão.Tá certo,a contradição faz parte da vida,todos estamos sujeitos a isso,mas esses caras estão passando do limite do razoável.Exemplo disso foi a postagem de vídeos neo-nazifascistas nesse blog,o que deve ser veementemente repudiado por qualquer cidadão de bom senso.
    Agora os caras vem com um discurso que devem ter copiado e colado de cartilhas integralistas.É o fascismo à moda tupiniquim,estorvando qualquer defensor das liberdades individuais e acabando com a paciência de qualquer cristão.
    E os caras querem fazer isso da porra da vida?Problenma deles.Eles tem essa liberdade,liberdade que a esquerda conquistou,diga-se de passagem.Porque se não fosse pela gloriosa luta de camaradas que derramaram seu sangue na luta por direitos democráticos,hoje em dia talvez não houvesse nem arremedo de liberdade de expressão.
    O que posso dizer pra concluir é que lamento posturas tão intransigentes no seio de uma faculdade de humanas.Eu gostaria de fato de sentar pra tomar um café com esses caras e ver qual é a deles,sem julgamento moral,sem preconceito,numa conversa cordial.Mas será que eles tem peito pra isso? Onde está a honra tão apregoada pelos caras?Falam que estamos encastelados no movimento estudantil,mas esses caras não saem do armário virtual;se escondem detrás dos fakes e ficam lançando impropérios a torto e a direita,mais a direita é claro.Querem ibope? Querem atenção? O que esses caras querem afinal?

    • devir02bacante disse:

      Quando a rua encontra a Universidade.

      Se eu fosse uma rua eu seria um beco, sem asfalto, sem luz e com muitos utensílios que foram descartados evidenciando todo aquele consumo de tudo aquilo que nada precisamos esse mesmo que enche e disputa vocês nas prateleiras do supermercado, nas publicidades do metro, no outdoor das vias congestionadas.
      Esse beco medonho e sombrio chega à universidade que contempla o conhecimento as luzes de mundo real e desconhecido para ele até então, um morto pútrido nada entende.
      Esse belo quadrado, fechado, quebrado projetado por uma concepção de educação para a liberdade e consciência nada sabe deste lugar do beco, das mulheres rocas de aleluia, dos homens pinguços, e das crianças hiperativas que não podem permanecer nas escolas. Lugar que o comando e as leis não vêm do direito e sim do sangue vermelho. Lugar em que o estado é o que conhecemos do estado é a escola mal acabada e o policial que mata nossos amigos.
      Que quadrado é esse? Pra que ele serve? Por que me convenceram a fazer um vestibular? De nada isso me serve se não me ajuda a elaborar o conhecimento da quebrada que quebra na esquina do muro fechado da universidade iluminada por tudo aquilo que me impossibilita a ver o que vi e vejo antes das trezentas páginas de uma revolução oceano atravessado romântico e idealizado da história nada reconhecida meus avós.
      Talvez o beco preto escravo seja “emburrecido” demais para esse tal lugar, para essa tal conversa de crescimento econômico, talvez nos restem beber essa água suja mesmo é melhor isso do que a sede. Esquecer-se de onde viemos é muito mais fácil para esse marco desmemoriado com sangue de mentiras ofuscadas numa verdade nada negra, nada mulher, nada jovem de luta, mas são contadas as nossas crianças.
      Agora eu acho que é isso, nada me serve esse depoimento em narrativa que não tem importância na universidade sem salas, sem teto, sem bandejão. O importante é que ela exista afinal já é um grande avanço para um beco que padece da segregação urbana ofuscada por retoricas robustas que ecoam mais do que a voz murmurante da periferia traficante, pois é mais fácil condenar o silêncio gritante, do que a pomposa modernidade tagarela do desenvolvimentismo.

      • spirituarise disse:

        Caso sejas uma mulher comum, tu tens minha autorização de dizer asneiras romantizadas e pós-modernas, caso não, sua criticas, é justamente o meio critico igualitarista de esquerda que eu sempre crítico, vocês não cansam de demonstrar o quanto são ridículos? Somente Bullshit puro, Perdoe-me, entendo que isso não é razão para uma posição agressiva de minha parte, porém, por favor, é burlesco, e estou dizendo isso para o seu próprio bem e, por favor, pare de usar drogas antes de escrever qualquer coisa nisto, vomitando os espantalhos fajutos tirados de algum livro escrito por alguma feminista feia e depressiva. Obrigado. Cuide-se.

  3. devir02bacante disse:

    Mario Medina é bom os eu-fascismos serem liberados em algum lugar…..Vamos responder de outras formas, Abraços

  4. spirituarise disse:

    Mas gente… Existimos para acatar as culturas dessemelhantes da nossa!

    Não permanece certo ou errado, civilização ou barbárie, mas sim exclusivamente… Diferenças, Querelas!

    Aprender a reverenciar a heterogeneidade cultural é pré-requisito para o achego dos direitos humanos. Não faz o menor significado almejarmos tratar os comunistas em nossa sociedade de uma assentada configuração e, ao mesmo tempo, negar aos Nazistas, Fascistas o mesmo direito.

    Não compreendo a visão de mundo que vocês têm, pergunto-me, onde está o humano que abita em cada um de nós? Falta tudo em vocês conservadores, maníacos dominados pela técnica e vida capitalista, um absurdo, tenho de pena de vocês!

    Falta víscera nos costumes de misantropia, jamais devemos abolir o amor ao próximo, ao coração, a vida, ao amor, a natureza.

    Certo ou errado, Não passarão!

  5. spirituarise disse:

    “Antes de começar o trabalho de modificar o mundo, dê três voltas dentro de sua casa.” Provérbio, aparentemente de origem Chinesa.

    Não pude deixar de ler os comentários do senhor Mario, e pergunto-te, O senhor sabe em que baseio minhas crenças? Poderia o senhor responder-me em que baseia as tuas?

    Algumas ressalvas.

    Arenga simplista? O senhor seria capaz de refutar algo do que eu disse com argumentação séria e conhecimento minimamente consistente? Quanto a reprocha ao TFP, Recuso, creio eu que a TFP sequer se leva sério, como eu poderia levá-la? Quanto ao divulgar meu rosto, deveria eu sim fazê-lo, e honestamente, já passou da hora, porém para que? Somente neste blog é fato de que nenhum esquerdista fora capaz de debater comigo, até os discursos Foucaultianos de vocês, eu consigo refutá-los e até fazê-los (e melhor do que vocês mesmos) A menos que o senhor seja covarde igual todos os outros esquerdistas apoiadores desta greve e movimentos sociais manipulados, não vejo achaque algum para alguém querer saber quem eu sou, um dos motivos de controverter com esquerdistas, é somente para incrementar minha retórica, porém nem isso, vocês são capazes de me fornecer. Caso queira debater honestamente, aconselho que o senhor ascenda um pouco seu nível.

    Moral! Em que momento eu disse ser Cristão? Defendo o fato de o Judaico-Cristianismo ser um dos pilares de nossa civilização, o interessante é que sou ateu, porém, aprenda de uma vez, “Se a Revolução é a desordem, a Contra-Revolução é a restauração da ordem. E por ordem entendemos a paz de Cristo no reino de Cristo.” Plínio Correa de Oliveira.
    Poderia me dizer, onde fui imoral em meu discurso?

    O que são liberdades individuais para você? Quanto ao restante de seu parágrafo, caso você esteja sendo irônico, obrigado, fez-me rir, caso não, é obvio que o senhor não sabe absolutamente nada de coisa alguma. Democracia graças à esquerda? É alguma brincadeira de mau gosto? O interessante é que, não sou favorável ou um defensor da democracia (ditadura pela maioria).

    Por que achas que quero atenção discutindo com um monte de esquerdistas anódinos? Quanto o assunto é política, abstenho-me, sou um “conspirador” não faço passeatas, ou apologias a nada, somente atuo em minha comunidade local ou social, para quando os cidadãos do mundo e as pragas Foucaultianas menos esperarem, dar um golpe.
    Sou somente um cidadão de bem, preocupado com os ditames de nossa civilização, antes que a mesma caia em total decadência e barbárie.

    Sou muito democrático quando o assunto é conhecimento, deixo aqui algumas notas para o senhor, porém não confunda: Conhecimento consistente, não se adquiri numa universidade, o papel da universidade não é formar cidadãos e sim, profissionais.

    “[…] Assim, por exemplo, enquanto a intimidação do relativismo moral e do igualitarismo estiver limitada a uma pequena dimensão de adolescentes e jovens, por um breve período de suas vidas (até que eles atinjam a vida adulta, restringida pela instituição familiar), pode ser suficiente não fazer definitivamente nada. Os advogados do igualitarismo e do relativismo cultural não representariam mais do que um mero acanhamento ou impaciência temporários, e a sanção pela via do ostracismo pode ser bem suave e clemente. Uma pequena dose de zombaria e desdém pode ser tudo de que se precisa para conter a ameaça relativista e igualitarista. Contudo, a circunstância é muito diferente – e medidas bem mais drásticas podem ser necessárias – nas ocasiões em que o espírito do relativismo moral e do igualitarismo tenha encontrado guarida entre a parcela adulta da sociedade: entre as mães, pais e chefes de família e de empresas.
    No período em que os membros maduros da sociedade começam a apregoar sempre aceitação ou, pior ainda, a advogar anseios igualitaristas, sejam na forma da democracia (ditadura da maioria) ou do comunismo, torna-se imperativo que outros membros – individualmente, os cidadãos de elite – estejam aprontados para agir definitivamente e, no caso da inadequação contínua com os modelos, excluir e, em última instância, expelir estes membros da sociedade. Em um contrato afamado entre os proprietários membros da comunidade com o desígnio de abrigar a propriedade privada, não pode existir um direito ilimitado à liberdade de expressão. Pode-se expressar e gerar praticamente qualquer conceito à luz do dia, mas a ninguém pode ser aceito advogar idéias que sejam contrárias justamente ao alvo contratual de preservar e proteger a criação da propriedade privada, idéias tais como democracia e comunismo. Em uma ordem social liberal, não pode existir tolerância com democratas e comunistas. Eles carecerão ser isolados fisicamente e expulsos da comunidade. Da mesma forma, em um contrato condominial afamado com o objetivo de se abrigar a instituição da família, não pode haver tolerância com aqueles que comumente promovem estilos de vida contraditórios com tal objetivo. Eles – os advogados de estilos de vida alternativos, tais como, por exemplo, hedonismo, parasitismo, culto à natureza, homossexualismo ou comunismo – também terão que ser removidos fisicamente da comunidade, se almeja preservar a mesma ordem social.

    Hoppe, Hans-Hermann. Democracia: Ninguém é Deus. Economia e Política da Monarquia, Democracia e da ordem natural,2003), pp. 363

    http://mises.org.br/Article.aspx?id=398

    Perdoe-me por não responder diretamente, porém é extremamente inconveniente o espaço de comentários do blog no quesito respostas, Obrigado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s