COMO POSSO VIVER SEM MINHA VOZ? Paridade já!

Manifestação dos alunos da UFERSA

Anexo carta:

COMO POSSO VIVER SEM MINHA VOZ?

Há muitos anos se discute a paridade de votos nas Universidades públicas brasileiras. Sabe-se que a proporção imposta na consulta para a escolha da direção da universidade, conforme o art. 16 da lei 5540/68, desprivilegia os estudantes e técnicos administrativos, no sentido de impor pesos diferenciados aos diversos segmentos que compoem a comunidade acadêmica.

Entende-se que essa proporção fere os princípios democráticos vigentes e constantes na Constituição Federal de 1998, que valorizam a igualdade de todos em direitos e obrigações. Observando os processos ocorridos em outras IFES, onde a paridade já é uma REALIDADE, constatamos o quão é importante que se dê VOZ aos discentes e técnicos administrativos da UFERSA.

No contexto do Rio Grande do Norte, já temos a experiência da UFRN enquanto instituição paritária. Nada justifica que a UFERSA, universidade tão nova se feche aos processos de mudanças pelos quais passa o ensino superior brasileiro. O próprio MEC já reconhece, através da nota técnica 437/11, em seu item 23, a legitimidade das consultas paritárias.

Além disso, com base no principio da autonomia universitária, constante no art. 207 da CF/88, a modificação do sistema de consulta é possível via decisão do Conselho Universitário — CONSUNI. O que pleiteamos é que se faça ampla discussão do tema na UFERSA de modo que esta possa se tornar mais uma das IFES no rol daquelas que prezam pela participação paritária da comunidade acadêmica.

Portanto, manifestamos nosso repúdio ao modelo desigual, antidemocrático e excludente que rege as decisões dentro da academia! Convocamos a todos para construir uma universidade mais democrática e justa! Basta de silêncio: não podemos viver sem nossa VOZ! PARIDADE JÁ!

Universidades que adotam sistema de votação paritária:

Universidade Federal do Amapá (UNIFAP)
Universidade Federal de Viçosa (UFV)
Universidade Federal de Pelotas (UFPEL)
Universidade Federal de Alagoas (FAL)
Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
Universidade Federal do Piauí (UFPI)
Universidade Federal do Paraná (UFPR)
Universidade Federal da Paraiba (UFPB)
Universidade Federal Fluminense (UFF)
Universidade Federal do Goiás (UFG)
Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD)
Universidade Federal de São João del Rei (UFSJ)
Universidade Federal de Uberlândia (UFU)
Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)
Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)
Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
Universidade Federal de Lavras (UFLA)
Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN)
Universidade Federal de Sergipe (UFS)
Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR)
Universidade Federal de Manaus (UFAM)
Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Esse post foi publicado em Cartas e marcado . Guardar link permanente.

17 respostas para COMO POSSO VIVER SEM MINHA VOZ? Paridade já!

  1. O ESTUDANTE disse:

    “Como posso viver sem minha voz” – Extremistas-grevistas da Unifesp-Guarulhos, reflitam sobre isso. Sejam sinceros(as) com vocês mesmos(as). Acreditar nas próprias mentiras ou contradições é um sinal claro de que algo precisa ser feito.

    AUTOCRÍTICA JÁ!!!

    “Paridade Já” – reflitam sobre isso TAMBÉM. Paridade já, em “nossas” Assembleias Estudantis. Chega de manobras; truques; conchavos – MANIPULAÇÃO.

    DEMOCRACIA!!!

    • Paridade Já! disse:

      Paridade: os três setores da Universidade – estudantes, técnicos-administrativos e professores. Eles (professores e técnicos) não comparecem à nossa assembleia por que não querem, apesar de serem sempre bem vindos.

  2. Antuérpio disse:

    oestudante, você realmente precisa estudar. disse tanta coisa e não disse nada. há uma greve em curso e que já dura quase 80 dias. todas as tentativas de desmobilizar o processo grevista não vingou. que poder é esse que você atribui ao movimento grevista, cuja sapiência, sua e de consortes, não consegue quebrá-lo? você é tão bobinho assim para não conseguir superar “manobras;truques, conchavos” ? por favor, não dê um poder ao movimento que ele, efetivamente, não tem! a greve é produto da maioria, pensar o contrário disso é chamar as pessoas de estúpidas e fáceis de serem manipuladas. mantendo essa sua afirmativa, duas questões decorrem daí: I – elas, as pessoas, continuariam a ser manipuladas, o que denotaria um protesto em vão de sua parte. II – se você entende que as pessoas que mantém a greve, seja no comando, seja participando nos fóruns deliberativos com as assembleias, devam ser classificadas por manipuláveis, logo você não as terá para sua causa inerte. ambas as opções mantém a greve, escolha você!

    • O ESTUDANTE disse:

      Colega Antuérpio,
      Sua resposta já demonstra e sustenta o que eu comentei. Seu próprio comentário o denuncia, caro colega Antuérpio.
      Claro que preciso estudar, todos precisamos. Não tenho pretensões de ser um “intelectual”, um sábio das massas, um oráculo do coletivo ( como alguns grevistas têm). Jamais disse isso. Quero apenas estudar num ambiente onde haja o mínimo de democracia, isso sim. Não em um ambiente pseudo-democrático; onde os que clamam por democracia, não a praticam.
      Só pedi uma autocrítica ao movimento, só isso. Será que é absurdo vocês se auto-avaliarem. Vocês querem ser o movimento PRETENSAMENTE PERFEITO?
      Sou sincero em admitir que preciso estudar mais, mas entendo que não é necessário ser um gênio para se chegar à conclusão de que uma AUTO-AVALIAÇÃO promove o crescimento enquanto ESTUDANTE, SER HUMANO, CIDADÃO, MILITANTE, ORÁCULO (uma piadinha não faz mal a ninguém), ANTI-GREVISTA, GREVISTA, ad infinitum.
      Sem mais.

      • dre disse:

        É isso aí!

        • O ESTUDANTE disse:

          Se fizéssemos um PLEBISCITO (amplo, aberto a TODOS os estudantes), de acordo com o que alguns colegas propuseram, será que ainda estaríamos em greve? Será que aquela ocupação malograda na NOSSA UNIFESP seria permitida?

  3. Paridade Já! disse:

    Por que a paridade incomoda?

    “A universidade é uma instituição integrada à sociedade. Por isso mesmo reproduz, muitas vezes, suas virtudes e mazelas. Considerando isso, do nosso ponto de vista, o incômodo causado pela paridade é revelador de uma concepção hierárquica de relações sociais, traço constitutivo da própria formação da sociedade brasileira. Esse traço foi denominado por alguns que se debruçaram a compreender nossa sociedade: ?cultura senhorial?. Segundo rege seus princípios, cada um deve ter um lugar bem delimitado na sociedade, ocupando sempre em relação aos outros ou uma posição superior, ou inferior; quando não de mando/subserviência. Nessas condições, princípios igualitários de relações sociais incomodam muito porque desordenam os próprios códigos simbólicos sobre os quais os indivíduos aprenderam a construir a percepção do seu lugar no mundo, e, como conseqüência, o lugar que cabe ao outro nesse mundo.

    Nesse tipo de sociedade, qualquer marca de distinção pode se transformar em critério de hierarquização. E, no nosso caso, o ?saber? e os ?títulos? são apropriados, muitas vezes, desse modo. ”

    http://www.informativo.uem.br/novo/index.php?option=com_content&view=article&id=2183:por-que-a-paridade-incomoda&catid=115:informativo-848&Itemid=39

    • só quero estudar! disse:

      Só que quando a parte da diretoria e administrativa do campus os convidou para uma reunião no teatro, simplismente foi montado um piquete para que isto não ocorresse. Ou estou enganado?
      Que raio de paridade é essa que é tanto exigida que, quando convocados, simplismente não acontece por parte de vcs? Vcs só enxergam o que lhes convém!!!!

      • FORA PRAE. disse:

        Só o tempo te dirá o que havia por trás daquele ato da PRAE, se vc não percebeu no dia.

        • PRAE disse:

          Fora nada, tá incomodado(a)? Sai fora!

          • só quero estudar! disse:

            Ah tah … então vc é o dono do saber pra saber PREVIAMENTE o que ia rolar … ahammmmm … acredito!!!!
            Pq vcs não deram a oportunidade de ouví-los e contra-argumentar após? Afinal, não é isso q vcs tanto defendem (a democracia)?
            Francamente, vcs só enxergam o que lhes convém, nunca vou mudar esse discurso.

            Acho que só o tempo irá te dizer a oportunidade que vcs deixaram passar.

            TEM MAIS É QUE SE FODEREM MESMO!!!!

  4. jbgarcia disse:

    Do REUNI à REPRESSÁO DA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO (PSDB) E POLÍCIA FEDERAL (PT): PRECARIZAÇÃO, DESCASO, FORMAÇÃO DE MÃO DE OBRA BARATA PARA DAR AULAS EM ESCOLAS PÚBLICAS E PRIVADAS, ALIENAÇÃO ALPHACETÁRIA E DOMÍNIO DOS ESCOLÁSTICOS!

    A GREVE CONTINUA!

    AGUARDAMOS POSIÇÃO DA ADUNIFESP E ANDES:

    1.CONTRA A REPRESSÃO AOS 48+46 ESTUDANTES DA UNIFESP CAMPUS GUARULHOS; USP E NUMEROSOS OUTROS ESTUDANTES PELO BRASILZÃO AFORA!

    2.PROPORCIONALIDADE: CHEGA DAS DECISÕES POR MAIORIA DE DOCENTES.
    TEMOS DE TRAZER OS DEMAIS SUJEITOS DESTA HISTÓRIA (ESTUDANTES E TÉCNICOS) PARA AS INSTÂNCIAS QUE DECIDEM O RUMO DAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS BRASILEIRAS, CASO CONTRÁRIO, SERÃO APENAS OBJETOS.

  5. Morador da Lapa disse:

    Quem é vc pra dizer que a greve continua, sujeito? Já sei, é membro do Cumando. Quer falar por TODOS os estudantes, é? Toma tenência! KKKKKKKKKKKKKKK
    P.s.: E o rango na Polícia Federal, é bom? KKKKKKKKKKKKKKKK

    • Morador da Lapa disse:

      Deixa eu pensar… 48+46 é igual a: 94! Nãaaaaaaaaaaaaooo…
      Uma greve ilegítima para livrar 48, e agora temos mais 46. Desse jeito, só retornaremos às aulas em 2014.

  6. só quero estudar! disse:

    Só na mente do Jurassauro a greve vai continuar … tem que acabar com essa palhaçada pra ontem … quem eles pensam que são para falar pelo todo!!!!!!!!!!!!
    Falam em repressão militar como se o que eles fazem não fosse o mesmo !!!! Se enxerguem!!!!!

    Que a paz e a normalidade reinem no campus Guarulhos.

  7. ESTUDANTES DO CAMPUS GUARULHOS-PIMENTAS!

    ABAIXO O ITAQUEIRÃO-CAMBURÃO!
    QUEM NÃO PULA É REITORIA!
    A LUTA CONTINUA!

    Fato 01 – Dia 22 de março de 2012 os ESTUDANTES da UNIFESP CAMPUS GUARULHOS-PIMENTAS aprovaram a GREVE UNIFESP 2012.

    Fato 02 – Também em 2012 os DOCENTES, após construção da paralização de 07 dias e da convocação da ADUNIFESP, aprovaram a GREVE NA UNIFESP 2012.

    Fato 03 – Os TÉCNICOS que fizeram GREVE em 2011 estão discutindo o quadro nacional, se mobilizando e devem definir em assembléia uma posição quanto à greve geral convocada pelo sindicado da categoria.

    Fato 04 – VÁRIAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS articularam o ATO UNIFICADO dia 12 de junho de 2012 – em frente BOLSA DE VALORES/SP.

    Fato 05 – DIA 14 DE JUNHO DE 2012 – 15 horas – convocada a assembléia geral dos estudantes da UNIFESP “II INTERCAMPI” no CAMPUS GUARULHOS-PIMENTAS!

    Fato 06 – Há mais de 30 anos não ocorria uma mobilização nas universidades brasileiras com a intensidade atual, envolvendo DOCENTES, ESTUDANTES E TÉCNICOS.

    Fato 06 – O CAPITALISMO ENFRENTA UMA DAS SUAS MAIORES CRISES e, isto se reflete na SOCIEDADE: VEJAM O AGITO DOS PRÁTICO-UTILITÁRIOS E OUTRAS CORRENTES PRECONCEITUOSAS, MACHISTAS, FUNDAMENTALISTAS, PORCO-CHAUVINISTAS e vai por aí!

    Fato 07 – OS ESTUDANTES, DOCENTES E TÉCNICOS DAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS BRASILEIRAS ESTÃO FAZENDO HISTÓRIA. Não fique de fora!

    II INTERCAMPI

    Fazer a assembléia no Campus Guarulhos é de uma importância estratégica fundamental, uma vez que a VIOLÊNCIA contra os ESTUDANTES que estão na FRENTE DA LUTA, seguindo as determinações das assembléias gerais, inclusive da OCUPAÇÃO recente, é a META DOS BUROCRATAS, ESCOLÁSTICOS E ALPHACETES e não é exclusiva em Guarulhos.

    A “CARÍSSIMA BUROCRACIA FRATERNAL” não consegue mais IMPOR O CANTO DA SEREIA DO REUNI, dada a própria PRECARIZAÇÃO, mola propulsora das seguidas aprovações de continuidade da greve e ocupação do Campus Pimentas.

    Diante deste quadro concreto não restam mais alternativa para a BUROCRACIA senão ISOLAR E EM SEGUIDA ELIMINAR OS ESTUDANTES MOBILIZADOS NO COMANDO DE GREVE E OCUPAÇÃO com as mais diversas táticas e jogos: terrorismo academicista, manobras, infiltração de informantes, isolamento, divisionismo, contra-informação – enfim, tentaram de tudo para isolar o MOVIMENTO GREVISTA E DE OCUPAÇÃO – SEM SUCESSO!

    O BARATO É LOUCO E O PROCESSO É LENTO!

    O processo de greve e ocupação desde 2007 em resposta às sucessivas crises na UNIFESP amadureceu o MOVIMENTO ESTUDANTIL e uma a uma destas táticas foram sendo desmontadas.

    TROPA DE CHOQUE NELES!

    Bateu o desespero “eliminacionista”: ENVIARAM A TROPA DE CHOQUE DA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO E A POLÍCIA FEDERAL.

    Depois dos processos na JUSTIÇA FEDERAL e o INDICIAMENTO NA POLÍCIA FEDERAL por uma suposta desobediência, restam as MANOBRAS PARA EXPULSÃO DO “MAL” QUE CONTAMINA O CAMPUS DA BUROCRACIA, higienizado logo após a retirada violenta dos estudantes que ocupavam o Campus.

    MORALISTAS OPORTUNISTAS!

    Sim, é desta forma que esta burocracia encara a luta dos ESTUDANTES: A LUTA DO BEM CONTRA O MAL!

    Só que DANÇARAM uma vez que o processo deixou escancarado: NÃO SE TRATA DA LUTA DO BEM CONTRA O MAL. A GREVE NACIONAL DAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS FEDERAIS demonstra claramente e, foram DESMASCARADOS!

    PAUTA UNIFICADA!

    Trata-se de uma luta concreta geral e que não deve ser diferente do nosso Campus, baseada no tripé constante na PAUTA APROVADA POR TODOS OS CURSOS – História, História da Arte, Ciências Sociais, Letras, Pedagogia e Filosofia:

    1. FIM DA CRIMINALIZAÇÃO DOS 48 ESTUDANTES DE 2008 E 46 ESTUDANTES DE 2012.
    2. DEMOCRATIZAÇÃO DA ESTRUTURA DE PODER DA UNIFESP.
    3. FIM DA PRECARIZAÇÃO DA UNIFESP.

    ROMPER COM O IMOBILISMO PRÁTICO-UTILITÁRIO!

    Não basta colar cartazes ou ficar repetindo que nem “papagaio”: “A GREVE NÃO É O ÚNICO INSTRUMENTO DE LUTA”.

    Temos de participar e a GREVE DEMONSTROU SER O ÚNICO INSTRUMENTO DE LUTA, CLARO, ALÉM DA OCUPAÇÃO QUE DEU DOR DE CABEÇA E REVELOU O AMAGO DESTES BUROCRATAS OPORTUNISTAS!

    Estudantes, nem sempre fazemos parte da HISTÓRIA (dado o nosso PRATICISMO-UTILITÁRIO) e estamos DIANTE DE UMA EXEMPLAR OPORTUNIDADE DE FAZER HISTÓRIA.

    ESTUDANTE – façam uma reflexão e busque seu JUIZO DE VALOR!

    Precisamos que neste momento DIVISOR DE ÁGUA compareçam o maior número de ESTUDANTES no CAMPUS GUARULHOS-PIMENTAS e a BANDEIRA de luta é clara e contundente:

    -POR UMA UNIVERSIDADE PÚBLICA, GRATUITA, UNIVERSAL E DE QUALIDADE!

    -ABAIXO A REPRESSÃO ACADEMICISTA-ESCOLÁSTICA-BUROCRÁTICA-ALPHACÉTICA!

    -ABAIXO O ITAQUEIRÃO-CAMBURÃO DA PM E POLÍCIA FEDERAL!

    Até a VITÓRIA.

    COLETIVO “FILOSOFIA DA PRÁXIS”

  8. Um Leitor Surpreendido disse:

    Na UFG não há paridade não. É uma reivindicação nossa até hoje. Temos que pesquisar melhor os fatos, companheiros!

    Em solidariedade,
    Estudante Grevista da UFG

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s