Carta aos Docentes da Unifesp Guarulhos em Assembleia Geral do dia 13/06

Caros Docentes,

atualmente, 80% das universidades federais estão em greve em todo Brasil. A UNIFESP entrou no grupo das universidades em greve no dia 22 de maio, com adesão dos docentes do campus Guarulhos no dia 25 de maio. A pauta docente, que gira em torno da reestruturação do plano de carreira e melhores condições de trabalho, até o momento não foi atendida pelo governo federal.

Como forma de apoio a mobilização docente e com o intuito de construir uma pauta discente, os estudantes de várias federais tem se mobilizado e deflagrado greve contra a precarização da educação e por condições estruturais mínimas para as atividades acadêmicas, ambos fruto do processo de expansão sem qualidade das universidades federais promovida pelo REUNI. Na UNIFESP, além dos estudantes de Guarulhos que estão em greve há 80 dias, as demais unidades da instituição, com exceção apenas do campus de São José dos Campos, também declaram greve por tempo indeterminado. No dia 31 de maio, em Assembleia Intercampi, os estudantes construíram uma pauta comum que engloba principalmente melhores condições estruturais e maior democracia na universidade. Amanhã, dia 15 de junho, haverá uma nova Assembleia Intercampi aqui no nosso campus, onde será retirado um Comando de Greve Intercampi.

Ontem, ainda, a Federação dos Sindicatos dos Trabalhadores Técnico-administrativos das Universidades Brasileiras (FASUBRA) deflagrou greve nacional dos servidores técnico-administrativos, esta que tem como pauta, principalmente, o aumento do piso salarial e a correção das pendências da carreira desde 2007. Em breve, os técnico-administrativos do nosso campus devem se reunir em Assembleia para avaliar a pauta e a greve nacional.

Neste contexto, a educação como um todo se encontra nacionalmente em greve. Os professores, por não terem sua negociação efetivada pelo governo federal; os técnicos, por não terem uma proposta de negociação suficiente; e os estudantes, por não terem as condições materiais de andamento das atividades acadêmicas. Isso demonstra claramente o descaso do governo federal com a educação, que não valoriza seus docentes e funcionários e promove uma expansão do ensino superior sem qualidade, submetendo os estudantes a condições precárias de ensino.

Identificamos que a situação do nosso campus não faz parte de um processo isolado, mas um processo nacional de desenvolvimento da educação. Se as relações em nosso campus estão desgastadas e manifestações radicais foram até o momento tomadas como forma de reivindicação política, não identificamos que seja culpa dos estudantes, professores e funcionários, os verdadeiros reféns de todo esse processo. Pelo contrário, trata-se de um projeto nacional de educação que não deu certo, em consonância com uma gestão institucional anti-democrática, não planejada e pouco transparente.

Nesse sentido, propomos aqui uma articulação conjunta entre os três setores, que preveja a autonomia e o fortalecimento das categorias no âmbito local e nacional. Lamentamos que até o momento essa articulação não tenha se efetivado, mas acreditamos que ela ainda é possível, e necessária.

Atenciosamente,

Movimento Estudantil da UNIFESP-Guarulhos.

Esse post foi publicado em Cartas e marcado , , . Guardar link permanente.

36 respostas para Carta aos Docentes da Unifesp Guarulhos em Assembleia Geral do dia 13/06

  1. Alpha disse:

    “Nesse sentido, clamamos aqui por uma articulação conjunta entre os três setores…”

    em outras palavras…

    “Desculpa interromper a viagem de vocês, mas eu podia ‘tá roubando, ‘tá matando…”

  2. só quero estudar! disse:

    Alpha

    Acordou meio sínico hoje né!!!! kkkkkkkkkkkkkkkk

  3. To vazando! disse:

    Dizem que estudante não ferra estudante. Pois bem… estou pensando seriamente em pular fora dessa universidade. Já cansei de me sentir prejudicado por esse bando que brinca de Movimento Estudantil.
    Falam mal do Reuni, mas se não fosse por ele, muitos não estariam aí e ao invés de fazerem a “marcha da melhoria”, estariam fazendo a “marcha dos excluídos”.
    Falam mal do Prouni, que é manobra do Governo para sustentar os “barões falidos da educação” e tal. Sinceramente não sei, mas sei que quantos pobres (como eu) conseguiram estudar através desta oportunidade? Reflitam!!!
    Abri mão do Prouni (tive 2 bolsas integrais aprovadas) para entrar na Unifesp por motivos óbvios: A qualidade e o Conceito que a Universidade tem.
    Como aluno desta Universidade, sinto-me envergonhado por ações duvidosas que esse comando operou nesses 80(?) dias. Meu sentimento é de decepção!!!
    Ainda não tomei a minha decisão, mas se for o caso vou aguardar o Prouni 2/2012 para tentar uma bolsa e conseguir fazer meu curso sem maiores impedimentos.
    Infelizmente serei mais um que dará aos “barões falidos da educação” a oportunidade de encher os bolsos através do meu CPF. Contudo, não me arrependerei, pois estarei graduado e certamente dando um futuro melhor para mim e minha família. Não posso ficar à mercê de uma falsa-maioria que se julga além do bem e do mal.

    Abraços cordiais à todos.
    Aluno Decepcionado.

    • To vazando! disse:

      E só pra finalizar:
      Este é o conceito de “estudante não ferra estudante”? Ou seja, menos um na parada?

      • Jeferson disse:

        Ultimamente também penso exatamente a mesma coisa. Sinto por aqueles que ainda estão buscando uma primeira graduação por terem que suportar esta situação.

      • Julia Rosa disse:

        Colega,
        Entendo perfeitamente seu problema (esses “grevistas” são incapazes de um mínimo ato de alteridade) pois passo pela mesma situação que a sua; tenho demandas de vida (que se formos pesquisar isto empiricamente trata-se de demandas coletivas, como a necessidade do diploma) que não podem ficar ao capricho e bel prazer de um punhado de pessoas que usam este movimento como play ground revolucionário; também penso que a omissão de nossa diretoria em não intervir neste circo e descaso que se instalou no campus Guarulhos é muito grande; afinal quantos milhões de reais foram ralo abaixo devido a essa greve; veja que todos as federais do país terminaram seu semestre letivo, enquanto nós não tivemos direito de escolher! A diretoria poderia muito bem ter chamado um plebiscito entre os alunos regularmente matriculados para definir até que ponto essa greve estava sendo realizada pela maioria dos alunos.

        Você que pretende formar-se para dar prosseguimento em sua vida é impedido vergonhosamente por essa gente!

        Como já tenho uma licenciatura, estou fazendo um curso paralelo de menor duração para obter meu diploma desde que essa palhaçada começou, mas pretendo continuar estudante na Unifesp, devido à excelência do ensino promovido pelos nossos professores; de modo que, a única coisa que nos resta é lamentar estar entre seres tão desnecessários ao desenvolvimento e aprimoramento da universidade, como esse tal comando! E por outro lado não deixar de buscarmos conhecimento, mesmo depois de terminar essa faculdade, até porque, nós do noturno já temos enormes lacunas conceituais devido à falta de tempo, imagine agora depois de tantas greves! vamos correr atrás do grande prejuízo!

        Quanto a você sair da Unifesp não dê esse gosto a essa corja, pois isso só serviria para o comando justificar suas estatísticas do caos, pois é como vc bem coloca: quando teríamos oportunidade de um ensino com professores tão qualificados? já que não podemos nos dar ao luxo de ir estudar em campos no interior do Estado, sendo sustentado pelos pais?

        Cara, revolta é pouco! Ainda bem que eu adoro burocracia

        • To vazando! disse:

          Eles entraram (imagino eu) na Unifesp por ser um lugar conceituado, depois fazem tudo isso. Ofendem os mesmos professores que um dia eles elogiaram. Simplesmente desmerecem o conhecimento dos docentes… é de dar pena!!!!

      • Amnésia disse:

        Entendo seu lado, irmão. Tô descontente também… Mas de lá não saio não. Tenho muitas regalias. Lá não tem enquadro… Quer dizer, quando uns cumpanheiros resolvem INVADÍ E OCUPÁ, daí o bicho pega. “ESTUDANTE NÃO FERRA ESTUDANTE” – conversa.
        Firmão, Mano?! Fui…

  4. jbgarcia disse:

    Eu não aprovo o conteúdo desta carta, logo não me sinto representado por ela.

    • Oportunista. Assine suas bobagens!
      Juraci Baena Garcia
      Filosofia

      • só quero estudar! disse:

        Pra vc é bobagem ver um aluno desistindo por causa das suas atitudes e de seu bando?
        Vc me dá nojo!!!!

        Faz todo sentido o que ele disse. certo ou errado o que o Governo vem fazendo (sem entrar na temática política), o que importa é que foi por esse meio que ele conseguiu cursar (ou pelo menos tentar) o ensino superior. E devemos comprimentá-lo por isso.

        Quem deveria sair é vc e sua trupe, estão fazendo os estudantes de verdade perderem o ânimo.

        • marucosan disse:

          É que os revolucionários da UNIFESP usam a matemática cruel do mundo capitalista: para cada aluno que desistir por motivo X, nove deixarão de desistir por motivo Y.
          Concordo com eles: Universidade pública não é simplesmente desoneração de mensalidade! Classificar o ensino superior como complementar, não isenta o Estado da obrigação de prover àquele que ô utiliza…

          E entendam uma coisa: nem todos que apóiam a grave (MAIORIA entre todas as “ramificações”) são radicais. Se as reivindicações não fossem justas, tangíveis e de interesse da maioria, a greve não perpetuaria por todo esse tempo. Aqueles fodidões, que têm biblioteca ensebada em casa, casa antiga- , carro 1.0, comem no ponto zero -, etc… e só estão na UNIFESP para não pagar mensalidade, ter professores de renome e ganhar um papel moldurável e, principalmente, não estão nem aí para os outros… NÃO são maioria! SERÃO sempre incomodados enquanto a maioria não tiver iguais condições de estudo!; – NÃO são os grevistas que ferram vocês por birra; Somos TODOS nós para não nos ferrarmos!!!

          UNIP bunitè, sala confortè, a escolhida deveria ter sido você

      • jbgarcia disse:

        Eu assinei! Oportunista é vc que está usando indevidamente o meu nome!

        • só quero estudar! disse:

          O Juraci pensa que aki tem troxa.
          Ele tá usando dois nick’s e falando que é alguém que usa seu nome indevidamente.

          Seu otário, pensa que alguém vai acreditar em vc!!!!!!!!!!!!
          Tá querendo manipular isso também!!!!
          Se liga, troxa!!!!!

      • Desanimada disse:

        Largua de sr riduculo sr. Juraci, vc e um MERDA, acabou com o nosso semestre…. o amigo decepcionado esta certo… Lixo!!!!!!

    • To vazando! disse:

      É só um desabafo, não pedi pra ninguém se doer por mim!!!!!

  5. Alpha disse:

    É comum ouvir dos que são fervorosamente a favor dessa paralisação algumas coisas que vale a pena se deter a pensar para evitar cair numa falácia. Vou começar enunciando os da primeira turma (2007) que ainda lutam por uma “formação de qualidade”, porém, é curioso pensar que alguém que está nessa faculdade há 6 anos ainda não conseguira se formar, fico me perguntando se o motivo seria alguma coisa de ordem social… mas isso seria insultar os muitos que, apesar das dificuldades, já estão traçando outros rumos que estão além do diploma que eles, muito meritoriamente, conseguiram. Penso então ser questão de vergonha na cara, pois imagino que o discente que já possua a vida compromissada com serviço e outras demandas, já que a vida não para só porque se está numa Unifesp, acredito que esse aluno (maioria especialmenten o noturno) não se prestaria a “pular porque não é reitoria”.

    Prédio, biblioteca do tamanho de estádio e com 200 exemplares de cada obra, o Fasano, etc… exageros à parte, muitos dos que se identificam com essa insana paralisação argumentam que estão lutando por algo “maior” do que um diploma, mas se perguntar o que seria, muitos recorreriam a argumentações que simplesmente caem no reino do imaginário. Tudo isso para delegar ao “outro” algo que lhe é de dever, isto é, estudar. Pois pense, caro colega de campus, que tipo de EFLCH essa gente deseja? Provavelmente é aquela em que o aluno levanta ao meio-dia depois de uma noite inteira bebendo e consumindo sabe-se lá o quê, que depois acorda ao meio-dia e fica o dia inteiro perambulando feito andarilho pelas dependências do campus, com pausas para o almoço e para a janta num restaurante que aos olhos deles deveria servir refeição a toda população de Guarulhos, para depois ir à aula e ficar até um pouco antes do intervalo, pois o melhor do aprendizado universitário se faz, segundo eles, em conversas no pátio da faculdade… porque lá, meus amigos, eles são mais livres e podem atuar contra o sistema, já que “alienados academicistas” são os que não tomam essa “atitude”. Enfim, uma vida em que o mundo se curva às vontades do discente da EFLCH só porque ele está matriculado numa universidade federal, já que isso (em sua mente torpe) o credencia a exigir que o mundo e a vida permaneçam parados até que suas vontades sejam atendidas em sua total concretude. Mais lamentável é saber o quão facilmente alguns calouros compraram esses ideais.. e para finalizar, quanto aos que já estão lá, a formação implica, principalmente, numa boa construção curricular e, portanto, teórica… e nesse sentido, muitos dos que estão lá fracassarão miseravelmente devido a tantas paralisações.

    • Comandos em Ação disse:

      Alpha,

      tira o piquete do seu coração.
      E dê a mão.
      Ao Comando…..

    • Ha! disse:

      “a formação implica, principalmente, numa boa construção curricular e, portanto, teórica…”

      A formação de um ser humano, caro alpha, se dá nas relações próximas não mediadas: o exemplo dos mais velhos, a solidariedade com o próximo. A formação de mão de obra, esta sim se dá nas esferas burocráticas, e seu resultado não é um ser humano, mas uma mercadoria. Aliás, ainda que o objetivo de vocês seja este, nem assim vocês se sairiam bem. Pois o que vocês esperam conseguir com um diploma da UNIFESP, sendo que agências de fomento de pesquisa, como a fapesp e cnpq, andaram negando bolsas por FALTA DE ESTRUTURA adequada à pesquisa?? Hein? A UNIFESP ta mal na fita, meus amigos, e não estou falando nem do campus Guarulhos viu, mas da Vila Clementino.

      “O diploma serve apenas para construir uma espécie de valor mercantil do saber. Isto permite também que os não possuidores de diplomas acreditem não ter direito de saber ou não serem capazes de saber. Todas as pessoas que adquirem um diploma sabem que ele de nada lhe serve, não tem conteúdo, é vazio. Em contrapartida, os que não têm diploma dão-lhes um sentido pleno. Acho que diploma foi feito precisamente pra os que não o têm.” (M. Foucault)

      • só quero estudar! disse:

        Entendi tudinho, só não a sua posição … Mas se pra vc estudar na Unifesp ou na ‘Uniesquina’ é a mesma coisa (vide sua colocação: “O diploma serve apenas para construir uma espécie de valor mercantil do saber.”), então lhe pergunto amigo Ha!: Porque vc fez questão de estudar na Unifesp?
        Se pra vc qualquer diploma te basta faça o teste no mercado de trabalho. Pergunte pra qualquer selecionador qual candidato ele prefere: o da falida Unicastelo, por exemplo, ou o do cara que estudou na Unifesp?

        • Haha! disse:

          Estou na UNIFESP pelo convívio com os colegas e professores, estudar eu estudo em casa, no ônibus, no trem, lendo poesia, ouvindo música, conversando com pessoas simples (falo da simplicidade de espírito). Com raríssimas exceções, as aulas não vão além do que está no texto, não me fazem falta. É da interação entre pessoas que sinto falta.

          “estudar na Unifesp ou na ‘Uniesquina’ é a mesma coisa ”

          Exatamente! Puxa, que bom aluno, muito bem, continue assim! Quer um carimbinho de abelha na sua mãozinha?

          Já estudei em “Uniesquinas” nada conceituadas, em “uniesquinas” conceituadíssimas, e agora na federal. Fui de uma para a outra buscando melhor qualidade, mas minha experiência mostrou que dá no mesmo. O que varia é a carga de leitura, e o tempo que as pessoas dispõem para estudar. Só tirava 10 quando via as coisas como você. Agora que cresci, vejo que ser bem avaliado por uma sociedade opressora não é um bom sinal. Ou seja, descobri que vivemos numa sociedade opressora. Aí começou meu verdadeiro aprendizado. E quando deixei de vomitar impecavelmente nas provas e trabalhos o pensamento dos autores que lia, e passei a criticá-los, a refutá-los, minhas notas caíram vertiginosamente. “Onde já se viu um novato fazer crítica aos mestres?”

          Também estudei em escolas de música públicas e privadas, e dá no mesmo. E sabe o que eu descobri? Que o capitalismo abarca toda a sociedade. Em instituições só trabalham e se produzem mercadorias. É nas relações humanas não mediadas que a vida realmente acontece. Por que estou na UNIFESP? Pra que a educação pra todos seja realmente para todos, e que seja feita de relações humanas autênticas. Entendeu agora, ou vai precisar fazer um fichamento pra entender? Sugiro “Manuscritos econômico-filosóficos”, do Marx.

          • Haha! disse:

            Vocês realmente pensam que um papel que diz que você é foda faz de vocês alguma coisa? Talvez faça. Mas em qual sociedade, e aos olhos de quem? Se quer sustentar sua família, vai pra outro curso, oras. Ninguém precisa de faculdade pra pensar. Se a questão é essa, acabo de resolver. Vai trabalhar e leia o que quiser e quando quiser. Agora, se pretende usar o conhecimento pra mudar as condições de vida de todos, para a melhor, não é um currículo que vai te ajudar. São as pessoas ao seu lado que o vão.

          • Júlia Rosa disse:

            PQOP! E da ” É da interação entre pessoas que sinto falta” vai todo dia as seis da manha para metro Se e fica lá até as 22:00h, vai ter tanto calor humano e interacao!!!! Seu otário (a)! Nao cansa de provar o quanto e energúmeno e acéfalo???

          • =) disse:

            Aafffffffff… Vai ler sobre o significado ontológico, filológico e político de “multidão”, depois vc pode ficar toda nervosinha.. e garanto que não será comigo..

            sugestões: Cassirer (Ensaio sobre o Homem) , Benjamin (Sobre alguns temas em Baudelaire), Poe (O homem da multidão), Baudrillard (à sombra das maiorias silenciosas), Simmel (As grandes cidades e a vida do espírito), Marx (A assim chamada Acumulação Primitiva), Orwell (1984), Kafka (O Processo)

            Aí vc volta aqui e admite que falou bostaaaaaaaaaaa!

            Combinado?

  6. Greve é o cacete!!!! disse:

    Só pra descontrair e recordar…

    Alto do Tietê
    ALTO DO TIETÊ
    A L T O D O T I E T Ê

    Que porra é essa?

    • Alto do Tietê disse:

      Foi lá que o Juraci conheceu a Capivara. HEHEEHHEEHHEHEEHH
      É uma linda história fétida . Depois eu detalho.

      • Júlia Rosa disse:

        Putz e verdade! A fauna do Tietê conta com uma rica população de capivaras! Percebi que as capivaras só aumentam no campus! Ai que lindo! Já estão se reproduzindo!!!!

  7. Antuérpio disse:

    ALFINETANDO ALPHA II
    CÃO DE GUARDA
    Ele já não se reconhece
    Rosna e ataca. Morde,
    Estranha a própria espécie.
    Para o amo, o abanar de rabinho
    Para seu igual, ameaça com latidos
    A coleira é sua liberdade, fora
    Do portão, um cão perdido.
    Resto de comida lhe apraz,
    Saliva e mostra-se voraz
    Com os ossos, por seu amo,
    REUNIdos

    • Oh Shit! KKKKKKKKK disse:

      O Anta-érpio voltou!
      Produzindo cada vez mais “literatura”. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
      Sua grande obra é uma Merda textual KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

      • Arquivo X disse:

        Citaram a Capivara nos comentários acima e a Anta apareceu. kkkkkkkkkkkkkkk
        Será que é obra do acaso? Que mistério! hahahhaha – “A Verdade está lá Fora” kkkkkkkkkkkkkkkk

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s