LIBERADOS

Os estudantes presos no dia 15/06 foram liberados, a libertação ocorreu após a justiça federal conceder um alvará de soltura aos alunos. Os estudantes foram liberados sob a condição de comparecer na próxima segunda-feira (18) na sede da justiça federal de São Paulo para assinar um termo de compromisso ao comparecimento aos atos judiciais.

O ÁLVARA DE SOLTURA CONCEDIDO PELO JUIZ DA 1º VARA DA JUSTIÇA FEDERAL DE GUARULHOS DESQUALIFICA O ENQUADRAMENTO COMO “CRIME” DE FORMAÇÃO DE QUADRILHA.

AVANTE GUERREIROS, TODOS A LUTA!

Esse post foi publicado em Informes e marcado . Guardar link permanente.

38 respostas para LIBERADOS

  1. True disse:

    Fico feliz por alguns ali e triste por outros. Tem gente daquela fila que não deveria sair por um simples motivo: desde 2007 fodem com o restante dos estudantes que apoiam moralmente a greve e tomam um sacode pelo extremismo deles. Sem contar que são de origem burguesa e recebem respaldo da família; situação bem diferente de alguns ali que matam um leão por dia pra sobreviver na UNIFESP… Tem uns e umas que tiram até férias pra Santa Catarina pra espairecer as ideias e voltar pro campus renovada(o).

    • Luís Carlos disse:

      Se identifique covarde babaca… Para externar esta opinião só sendo babaca é perdoável. Covarde não … Se vc esteve na Unifesp em 2007 com esta opinião somente sendo um tresloucado…

      • True disse:

        Luís, você está exaltado porque cara? Ou eu tenho que apoiar sempre o que o CG determina? Essa é a minha concepção, não é com xingamento ou me chamando de babaca que você vai me atingir cara. E, você acha que com esse nome Luíz Carlos você está se identificando muito? Vc é tão anônimo quanto eu.

    • venezza disse:

      Extremismo o que? São seis anos, 2 inaugurações… Já formou gente e não existe faculdade, um REI thor afastado porque metia a mão e solto, outro assumiu a inconpetencia administrativa e a negligencia e solto, e desses que fodem desde 2007, alguns foram presos 4 vezes. PRA MELHORAR A MERDA DO RASCUNHO DE UNIVERSIDADE QUE VOCÊ ESTUDA, SEU BOSTA. E nessa velocidade acho que a gente pra melhorar a universidade do seu filho ou do seu neto, tem que realmente radicalizar daqui pra diante, como vemos… Não tá resolvendo.
      E como disse o Luiz…. Identifique-se bundão…

      • True disse:

        Vocês são hilários! Foram presos a primeira vez porque foram contra a própria assembléia que deliberou não ocupar e um grupo ínfimo de pessoas se dirigiu a uma tentativa fracassada de ocupação, nas primeiras vezes.
        E vocês acreditam realmente que foram essas manifestações que agilizaram os processos? Da para perceber o conhecimento de vocês sobre a coisa pública mesmo.
        E só para complementar, bundão e bosta, pra mim, são pessoas que apoiam estudante coagindo estudante. Se vocês não conseguem reconhecer essa crítica que é unânime ao movimento, eu não posso fazer nada.
        E pra combater a polícia, não é com gritinho e tacando pedra, é com coquitel molotov, fica a dica ai pra vocês não apanharem. Percebi que vocês não conhecem muitas táticas de manifestação, vai ser que é o reflexo da pouca militância.
        Eu não fico na Universidade brincando de militar, eu vou pra rua mesmo que é onde eu tenho contato com uma massa bem maior.

    • Alpha disse:

      Achei estranha a as respostas que muitos deram a seu comentário, TRUE. É como se tivesse colocado o dedo na ferida de alguns cāes partidários e de alguns de “vida ganha” que se passam por “sócio-economicamente frágeis”, e o pior é ver um monte de marionete seguindo utopias fracassadas. Essa história aí de Santa Catarina eu ouvi falar, é um carrapato acadêmico de 2007 que nāo sai da unifesp de jeito nenhum.

  2. venezza disse:

    Até comi a palavra….
    nessa velocidade acho que a gente luta pra melhorar….
    Voce entendeu….
    É bundão mas não é burro

  3. Camila disse:

    Nem sei se adinata falar mais uma vez, mas o (a) babaca que falou acima e não tem coragem de se identificar precisa sugerir algo, né. Quando reclamamos de uma coisa, podemos ao menos sugerir outra, mas vc não consegue nem se identificar. A Ana Beatriz, seu (a) palhaço, ao menos dá a cara a tapa pelo que acredita e vc seu (a) Merda, dá o q pelo q acredita???? Nem seu (a) pobre nome é capaz de dar!!!!!

    • spirituarise disse:

      Por que é que raios a argumentação de vocês esquerdistas resume-se somente a Non sequitur, Non causae ut causae, Argumentum ad hominem e chororô de adolescente inútil, tudo isso é somente pela a incompetência de vocês em viver?

    • True disse:

      Camila, sei la quem é Ana Beatriz. Mas se você deu nome aos bois quer dizer que essa história é verídica. Joguei o verde e colhi o maduro. As coisas então não são somente boatos. A sugestão já foi dada em várias assembleias e a resposta foi uma bela confusão. Ou vocês sofrem de amnésia ou deram um dois monstro nessa greve todos os dias, tá ligado huhuhuhuh.

  4. Juca disse:

    Nossa, como os grevistas estão articulados! Minha universidade NÃO é bosta não! E por isso que gostaria que os senhores explicassem qual a circunstancias que os obrigou (porque tudo que vcs fazem não é culpa de vcs) a destruir o campus daquele jeito. E porque raios vcs acham que a população pobre que trabalha de verdade apoiaria a depredação da tal Universidade do Pimentas?
    Por favor…talvez seja essa compreensão que me falta………….

    • Leila disse:

      É isso ae, Juca. Qual o direito que eles tinham para destruir o pouco de estrutura que temos? De destruir um patrimonio que eles mesmos pregam ser da comunidade?? Esse marginais, militantes, baderneiros perderam o rumo e a razão há muito tempo! Fora Comando de Greve!

      • Aline disse:

        isso mesmo, tem gente que bota pra quebrar e gente que não move uma palha vamos respeitar a diversidade de comportamentos

        • Leila disse:

          Se participar da campanha eleitoral do Gianazzi, promover o PCO, o PCB, PSTU, quebrar os vidros das salas, pichar os móveis e as paredes com palavras de ordem, intimidar alunos, funcionários e professores, na sua concepção for fazer um movimento estudantil digno… Sou da ala dos que não movem uma palha sim!

          • Leila disse:

            Não gosto da polícia militar, assim como não confio em políticos. Por que cargas d’água eu apoiaria um movimento estudantil impregnado de interesses políticos e que ainda por cima traz a polícia militar para dentro do campus??

  5. Leila disse:

    Deliberaram em plenária a destruição do campus?

    • Marcos Ubiraci disse:

      O pior é que existem pessoas que tem orgulho dessa universidade de bosta, de uma reitoria tacanha, autoritária e nojenta. Deve ser o orgulho de contar pros amigos que estão na federal, como é que é aquela comunidade que tinha no orkut ” Ih foi mal a minha é federal” é esse tipo de gente que fica postando merdas contra a luta aqui e no facebook. Não querem enxergar que o campus não existe, que apenas 6 dúzia de professores fazem por merecer o que ganham (levando em conta o abismo social do nosso país, ganham muuuuuuuuito) O pior covarde é o que se esconde, vcs são desprezíveis e sem dúvida cooperam com a merda cada vez maior que é a UNIFESP.

      • Leila disse:

        Sim, vc está certo. Então vamos quebrar tudo!

        • Marcos Ubiraci disse:

          Por favor transcreva o trecho em que indiquei que quebrassemos tudo. Não tente reduzir o meu discurso só porque o seu é reduzido.

      • Leila disse:

        Olha, acho que devem ser os professores das socias que são assim tão ruins, ou vc é mais um calouro manipulado por aqueles que não tiveram cacife nem pra pegarem seus diplominhas de graduação! Não sei onde esse país vai parar, sério mesmo. Que existe a desvalirização e o desreipeito aos professores por parte do estado, isso já virou feijão com arroz, mas agora, que esse desrespeito parta de alunos de um campus de humanas, onde muitos farão licenciatura… isso ultrapassa o limite da minha compreensão.

  6. Marcos Ubiraci disse:

    Não sou calouro, e não faço Ciências Sociais, mas questiono bastante a validade do diploma que receberei, por vir das mãos de uma instituição autoritária, sem estrutura. Me questiono por avaliar como mediocres os métodos de avaliação e o caráter disciplinador de nosso Doutores, incompetentes sim, precisam fazer até chamada em alguns casos pra prender os estudantes na sala, passar a lista no final da aula, duas listas, (SOMOS OU NÃO ADULTOS, SERÁ QUE NÃO PODEMOS ASSUMIR NOSSAS RESPONSABILIDADES?) são infantis, desagregadores, acho que nem a polícia é tão ignorante a ponto de arrancar uma bandeira de um mastro simbólico, nada mais que um semióforo, e o pior de tudo, um ato cometido por um professor de patrimônio.Tenho respeito aos professores, sou educador, a quase dois anos e daqui a pouco serei licenciado, o que não respeito é a truculência da classe média e se um professor representar isso, não respeito mesmo. E não generalizei, exclui uma 6 dúzia de professores da UNIFESP que são dignos do título de PROFESSOR, que é algo muito maior que o “Doutorado, garantido por papai que me bancava enquanto eu pesquisava pra mim e meus pares”. Você mais uma vez reduz, reduz porque não conhece, reduz porque não tava lá dia 15/06, reduz porque ta de férias desde o dia 22/03 ou desde de o dia que nasceu.

    • Leila disse:

      Enquanto 1/2 duzia (é assim que se escreve meia dúzia, tá) de alunos estiverem sitiando o campus, pichando palavras de ordem, demarcando o espaço como as milícias e as facções criminosas fazem, pode ter certeza que estarei de férias! Tenho cada vez mais orgulho de nunca ter participado desse lixo de movimento!!

      • Marcos Ubiraci disse:

        Muito obrigado por indicar minha falta de atenção ao escrever meia dúzia, afinal de contas algo de proveitoso eu tenho que tirar desse debate inútil, por ser contigo. Professor bom não precisa fazer chamada pra segurar o aluno na sala, o problema não é a chamada e sim o porque ela é feita. E tchau não guento mais tanta imbecilidade!

        • Leila disse:

          É que sua falta de atenção o fez cometer o mesmo erro duas vezes (algo bastante compreensivel, se tratando de um entusiasta desse ME porco). Já esse recurso retórico de generalização indutiva que vc se utiliza para seu dirscursinho fraquinho, torno a falar que para mim não faz sentido algum, pois como já disse, não tive a oportunidade de ver sequer um professor fazer chamada em mais de 3 anos de curso!!

          • Marcos Ubiraci disse:

            Então, errar eu posso, sou humano, todo mundo pode ou será que você não erra? A imbecilidade está no respeito por um cargo e não pela pessoa que o exerce, esta na maneira certa ou errada de escrever e não no que ela escreve. Existe uma classe dominante, que domina inclusive a universidade, eu não faço parte dela, nunca fiz, pra mim foi uma dificuldade imensa chegar na universidade e quando chego encontro uma estrutura pior que a das escolas públicas que estudei, com professores autoritários e muitos estudantes apáticos e reacionários, de que serve um título de Dr. em humanidades numa sociedade doente como a nossa? E de que serve vocês malharem feito judas (online é claro) pessoas que estão lutando por direitos que também são seus, e que quando conquistados vocês também usufruirão, putz faz 80 dias que se discute isso. Sinto muito só posso pensar que vocês defendem essa classe dominante que só pensa em sucatear a educação pra que sua mão de obra não pense e se pensar que seja em dinheiro, carreira, comprar,consumir, ter. Não sou entusiasta do ME, sou da luta do povo (e muito menos ativo do que deveria ser) tenho várias críticas aos métodos, mas de que adianta os braços cruzar ? O Estado é cruel comigo desde o momento em que nasci, será por isso que não vejo problemas em ocupar, pichar, protestar, paralisar? A violência que tirou meus antepassados á força da África é a mesma que me força a estudar sem qualidade, me formar no escuro e trabalhar no vazio e continuar a ser escravo. Dessa vez eu paro por aqui mesmo, o que tinha de falar já foi falado, vejo que estamos em lados opostos, espero um dia ver uma sociedade mais igualitária e menos repressora e que mais neguinhos como eu cheguem a universidade (numa universidade mais justa, acessível,menos elitista e principalmente com sala de aula).

          • Leila disse:

            Vou repetir o que escrevi logo acima. Se participar da campanha eleitoral do Gianazzi, promover o PCO, o PCB, PSTU, quebrar os vidros das salas, pichar os móveis e as paredes com palavras de ordem, intimidar alunos, funcionários e professores, na sua concepção for fazer um movimento estudantil digno… Sou da ala dos que não movem uma palha sim! Não percebem que ali naquele campus a maioria mata um leão por dia? Também estudei em escola pública, sempre tive que ralar muito. E esse diploma representa para mim e para muitas outras pessoas ali, uma possibilidade para ter melhores condições de vida e de luta diária, meu querido. Pensa que já não fui adolescente, sonhadora? Acho até bonito aqueles que acreditam que a luta é genuinamente estudantil e por melhoras no ensino. Só que a ilusão não dura para sempre. E de uma coisa tenho orgulho, num servi de massa de manobra, assim, com plena consciencia disso. Prefiro acreditar que vocês querem seguir carreira política a pensar que são simplesmente ingênuos. Mesmo sendo contra os métodos, torço pela luta de vocês, até por que não desejo para os alunos da Unifesp greve a cada ano eleitoral. Bom, meu caro, cada um luta da maneira que acredita ser mais eficaz. Sou do tempo em que se acreditava que o PT traria mudanças para o Brasil… Já leu O Banqueiro Anarquista? Enfim, Fernando Pessoa parecia estar mais condizente com a atual realidade do que vocês! Boa sorte nessa lutinha adolescente contra o sistema!

          • Leila disse:

            Mais uma coisa, ou melhor, duas: Vocês já devem saber que o questionário socio-econômico mostrou por A+B que a maioria ali é baixa renda, então já deveriam saber que chamar as pessoas que se posicionam contra os grevistas de burgueses não faz o menor sentido. E a outra coisa é: vocês não são aqueles que questionaram a professora no dia do Ato em defesa da Unifesp, quem arcaria com o prejuízo dela tentar arrombar a porta da própria sala? Agora eu te pergunto: quem causou mais prejuizo, ela ou vocês? Um pouquinho de coerência não faz mal a ninguém, ok?

        • Leila disse:

          E como considero o ataque uma forma de defesa rasteira e vil, considerarei que quando você fala de imbecilidade, você está apenas fazendo uma auto-crítica. Tchau.

    • Leila disse:

      Nunca vi UM professor fazendo chamada no meu curso… E se esse é o critério que você usa para desqualificar os seus professores, acho melhor você rever seus conceitos!

    • Júlia Rosa disse:

      Ah! Adultos iguais aos que vandalizaram o campus? Com certeza lá todo mundo tem mais de dezoito e vai responder processo, mesmo! Nao tenha duvida!

      Professor tem que fazer chamada sim! E pelo menos os do meu curso (pedagogia) , além de sumidades em suas áreas de conhecimento, a grande maioria, sao pessoas acessíveis, maravilhosas!
      Professor nao e uma classe especial de ser humano, TÊM as mesmas qualidades e vaidades que nos possuímos!
      Ninguém que se candidata a professor em qq nível de ensino, também tem obrigação de portar uma bandeira para salvar o mundo…..

      Nem todos conseguiram seus doutorados com um pé nas costas! A maioria deles também esteve no chão da escola e, se teve algum que foi sustentado no doutorado, parabéns a eles por usarem bem o dinheiro dos pais pequeno-burgueses de classe media.

      Para de ser despeitado cara! Concordo que doutorado e o de menos na vida, então procure algo que te de prazer!

  7. Michele disse:

    Mew… usar como exemplo o fato de um professor fazer ou não chamada, passar a lista no fim da aula… q ridículo! Além de ser um puta argumento infantil, é lei!!!http://www.pco.org.br/conoticias/ler_materia.php?mat=10250

    Quem não faz questão de estudar numa federal, não estude então, ué. Qualquer coisa tem ProUni.
    Quantos são os q participam ativamente da greve? Quantos foram os q somente compareceram aos dias de votação (q, aliás, todos sabem q foi manipulada)? Parece que os folgados q vc fala são esses seus companheiros q só vão levantar o bracinho na votação e depois ficam de boa em casa.
    Quem é contra a greve está “de férias” por causa de vocês! Queremos ter aula!
    E por que raios vocês destruiram o campus? Expliquem-se!

  8. failmoon disse:

    Desculpem,prefiro acreditar que existem mais protestos dignos de apoio no SPFW do que nesse ME.Protestos são importantes,em sua maioria,mas acompanhados de vandalismo nunca.

    • Júlia Rosa disse:

      Sem dúvida! deveriam fazer um treinamento ostensivo com o Turco Loco para saber como chamar ao mesmo tempo a atenção das massas, da classe médica, da elite e dos políticos brasileiros! o cara é bão nisso!!! e quanto à sigla partidária, todas são a mesma coisa, iguais ao M.E.R.D.A Guarulhos!

  9. PROFESSORES UNIFESP disse:

    Carta da professora Ana Nemi para a ombudsman da Folha de São Paulo.

    Prezada Suzana Singer,

    Gostaria de me manifestar sobre os episódios recentes no campus Guarulhos, onde funciona a Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da UNIFESP. Ao contrário do que vem sendo veiculado, o que os alunos faziam ali não era ato político pacífico, eles estavam cassando o direito de ir e vir dos professores e funcionários que eles acuaram na Diretoria Acadêmica gritando “invasão”, “invasão”. O que a polícia fez foi retirar os alunos de lá para que os professores e funcionários ali acuados pudessem retornar do trabalho para suas casas. Quando a polícia chegou eles já haviam vandalizado o prédio quebrando vidros e pichando as paredes que estavam sendo recuperadas dos atos de vandalismos cometidos por eles durante os dias em que ocuparam o campus na semana anterior.
    Sendo assim, gostaria de afirmar que também fiz movimento estudantil, também defendi a democracia no exato início dos anos 80 quando, em meio ao apagar das luzes da ditadura e o retorno dos exilados, lembrávamos que Edson Luís morreu para que pudéssemos falar e não para que estudantes das décadas seguintes impedissem colegas, professores e funcionários de uma instituição pública de se manifestarem e de darem aulas.
    A polícia não foi chamada para impedir movimento político pacífico, ela foi chamada porque alguns alunos acuaram pessoas da comunidade acadêmica e optaram por tratar questões universitárias, por mais complexas e controversas que sejam, por meio da violência. Exatamente ao contrário do que vem sendo divulgado. A polícia foi chamada, repito, porque esses alunos não respeitam a democracia, a diversidade intelectual, cultural, social e política.
    E que não se afirme que o que ocorreu na EFLCH/UNIFESP é precedente para que a polícia ocupe espaços universitários ou que estaríamos importando tecnologia da USP, conforme poucos colegas apressados e desinformados disseram. Estamos lidando com a exceção e, em nome dos princípios democráticos que a exceção pretende suspender, não permitiremos que se torne regra. Assim, não estou advogando a presença da polícia no campus e nem considero aceitável ver alunos feridos ou enfrentando policiais armados. Mas é bom lembrar que foram os alunos que precisaram chamar a polícia há algumas semanas para que um colega deles que defendia outras ideias saísse escoltado do campus em função das agressões que sofria, exatamente do mesmo grupo de grevistas que acuou parte da comunidade acadêmica na quinta-feira, 14 de junho. O recurso à exceção, portanto, tem partido dos alunos devido às atitudes autoritárias do grupo de alunos minoritário que vem sequestrando o espaço público de debates que vínhamos construindo na EFLCH, infelizmente…
    Quero, no entanto, e para finalizar, resistir ao uso político e partidário que vem sendo feito dos problemas decorrentes da construção de um campus de universidade pública. Evidentemente não somos favoráveis ao uso da força como argumento político, por isso repudiamos o grupo de alunos que vem nos acuando violentamente e tentando sequestrar o espaço do campus em favor das pautas eleitorais dos seus pequenos partidos, assim como repudiamos a imprensa que os acolhe sem ouvir aos professores que eles perseguem e caluniam.

    Cordialmente,

    Ana Nemi (História/UNIFESP)

    Em colaboração com:

    Rita Paiva (Filosofia/UNIFESP)
    Maria Fernanda Lombardi (Ciências Sociais/UNIFESP)
    André Medina Carone (Filosofia/UNIFESP)
    Maria Luiza Ferreira de Oliveira (História/UNIFESP)
    Plínio Junqueira Smith (Filosofia/UNIFESP)
    Bruno Konder Comparato (Ciências Sociais/UNIFESP)
    Rafael Ruiz (História/UNIFESP)
    Mirhiane Mendes de Abreu (Letras/UNIFESP)
    Ligia Ferreira (Letras/UNIFESP)
    Wilma Peres Costa (História/UNIFESP)
    Gabriela Nunes Ferreira (Ciências Sociais).

  10. marcelo disse:

    O que eu não entendo é pq numa democracia, onde temos total liberdade para realizar passeatas, atos, manifestações e afins, que inclusive são largamente utilizados pelos que defendem a greve, um unico comentário contrário ao movimento desencadeia tanta violência..tantas palavras rudes…do tipo “se não tá comigo, é meu inimigo”!!! Qual o sentido de fazer parte de um movimento onde só quem tem voz é quem é do movimento?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s