NOTA DE AVALIAÇÃO DA OCUPAÇÃO DA REITORIA DA UnB

No dia 3 de julho nós, estudantes em greve da UnB, ocupamos a reitoria, seguindo deliberação do Comando Nacional de Greve Estudantil de realizar atos descentralizados em todo Brasil.

Depois de meses de tentativa de negociação, decidimos radicalizar nossas ações, a fim de conquistar melhorias na assistência estudantil, reivindicando (1) o fim da contrapartida trabalhista, (2) moradia para estudantes que já tinham seu recurso deferido, (3) passe estudantil durante a greve, (4) ressarcimento a estudantes de baixa renda referentes aos dias de RU fechado, (5) Bolsa Permanência para todos que precisam e (6) fim do decreto 7.416/10 que veda a acumulação da bolsa de permanência com quaisquer outras bolsas pagas por programas oficiais.

A ocupação foi importante para o movimento grevista, pois possibilitou a concentração de estudantes, permitindo maior mobilização e politização. Com a ocupação ficou evidente que apenas a ação direta é capaz de mudar nossa realidade, visto que nos cinco dias que permanecemos, conseguimos conquistar pautas que há meses vínhamos negociando em mesas de “enrolação” com a reitoria.

Apesar das vitórias – como indenização aos estudantes dos grupos 1 e 2 referentes aos dias de RU fechado e atendimento aos estudantes que tiveram recurso de moradia deferido concedendo auxílio ou moradia –,  o Comando Local de Greve Estudantil avalia que as medidas paliativas conquistadas são apenas uma forma da reitoria tomar fôlego: com elas não avançamos concretamente nas nossas reivindicações! Sendo assim, precisamo levar como aprendizado ser mais incisivos nas nossas exigências, já que a reitoria se encarrega de dificultar todos os processos.

É importante expor que tivemos dificuldades em desenvolver a ocupação. O principal equívoco foi termos mergulhado nas negociações com a reitoria e não conseguir mobilizar mais pessoas. Na verdade, esse é um ponto chave. A negociação não pode jamais ser um fim em si, nem os conselhos antidemocráticos os limites para nossas ações. Para tanto é preciso que nas ocupações se organizem debates políticos, atividades culturais e divulgação da luta, a fim de conquistar o apoio da comunidade acadêmica e da população em geral.

Acima de tudo, a ocupação, foi um dos momentos centrais da greve estudantil e uma grande oportunidade de aprendizado político. É importante que suas lições sejam compreendidas e aplicadas nas próximas lutas.

É de suma importância que tenhamos em mente que nossas pautas locais se incorporam às pautas nacionais por assistência estudantil, a qual ocupa um eixo prioritário de luta para o Comando Nacional de Greve Estudantil (CNGE).  Por isso ressaltamos que o Comando Local deve representar a voz dos/as estudantes diante do CNGE, e que todos/as podem participar das reuniões, que estão ocorrendo em Brasília (FE 5/UnB), onde o Comando Nacional foi instaurado.

Ousar lutar, ousar vencer!

Brasília, 12 de Julho de 2012

Comando Estudantil de Greve da UnB

Esse post foi publicado em Notícias e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s